Skip to main content

Posts

Showing posts from February, 2012

De olhos abertos

Um dia é uma mancha roxa, no dia seguinte um arranhão nas costas e vc começa pensar que seu filho está com problemas. Apesar do Eduardo dizer que estava tudo bem o tempo todo, eu comecei ficar desconfiada.

Verifiquei o tamanho dos sapatos, se ele está pisando torto, mandei andar na linha e fazer o 4. E quando ele pediu para mudar de escola e eu disse que ia conversar com a professora... ele finalmente me contou o que estava acontecendo desde que voltaram das férias de natal: um dos melhores amigos não está sendo muito gentil com ele.

Eu conheço bem o menino e tenho certeza que ele não faz por mal, nao quer machucar e não tem noção do quanto esta ferindo o Edu: mas está ferindo muito. Não só fisicamente, mas psicologicamente!!!

São brincadeiras idiotas tipo colocar o pé quando ele vai passar, empurrar ou bater o peito nele (o menino é enorme, tanto na altura quanto na largura), pegar o Edu pelo pescoço e ficar dando "crocks" na cabeça, torcer o braço para trás e outras idiotices…

Fazendo bonito com chapeu dos outros

No meu interesse por livros, comentei com uma amiga que precisava conhecer alguns autores canadenses. É muito complicado comprar livros quando vc não conhece nada sobre a literatura do país. Então esta minha amiga me emprestou vários livros famosos por aqui (vou fazer uma lista, aguardem).

Uma professora do filho dela, pegava os catálogos da Scholastic (que as crianças trazem para casa uma vez por mês) e marcava quais livros eram interessantes, eram bons, eram apropriados para o nivel de leitura do filho dela. Imaginem que esta pessoa iluminada (a professora) fazia isso para todos os alunos da classe dela (ai que inveja de não ter pegado uma professora assim!!!).

Eu achei bárbaro!!! E foi através destas listas que minha amiga comprou vários livros super interessantes para os filhos delas.

Um dia, conversando com a diretora da escola das crianças, eu comentei que tenho uma certa dificuldade para comprar livros porque não conheço os autores, os clássicos canadenses, a melhor literatura..…

Só não lê quem não quer

Eu sempre fui muito interessada em livros e agora, com 3 crianças em fase de alfabetização, meu interesse é em livros infantis.

Aqui em Toronto existe um incentivo muito grande à leitura. A começar pelas bibliotecas públicas que são totalmente gratuitas e você pode levar para casa até 50 itens. Os livros podem ficar com vc por 3 semanas e se ninguém fizer uma reserva por ele, vc pode renovar o empréstimo mais duas vezes e pela internet!!!

Se o livro que vc quer não tem na biblioteca mais perto da sua casa, vc pode fazer um pedido pelo livro: eles trazem o livro para a sua biblioteca e ainda te avisam por e-mail que ele já chegou. Para facilitar ainda mais a sua vida, os livros das bibliotecas de Toronto podem ser entregues em qualquer biblioteca da cidade. Como nós frequentamos as duas que ficam perto de casa, isso facilita muiiiiito a minha vida!!!

Apesar de achar que as livrarias canadenses deixam muito a desejar, vc sempre encontra livros variados com preços bem acessíveis. Mas se com…

Gêmeas com 2 anos de diferença

Eu imagino como deve ser dificil para os pais de gêmeos aguentar as inevitáveis comparações entre as crianças. É impressionante a capacidade que as pessoas têm de fazer comparações quando vêm duas crianças juntas.

E quando as crianças são irmãs, a quantidade de perguntas comparativas aumentam exponencialmente. O povo compara o peso, a altura, a cor do cabelo, o jeito de falar, as roupas que usam... tudo.

Sem querer dizer que comigo é pior, mas dizendo que tenho um agravante, minhas meninas têm entre si quase dois anos de diferença, porém a Luìsa (a caçulinha) já está praticamente da mesma altura que a Helena. Além dos desconhecidos sempre me perguntarem se elas são gêmeas, eu ainda tenho que ouvir os conhecidos dizendo que elas parecem gêmeas, rs.

Sim, é verdade... elas parecem gêmeas porque são praticamente da mesma altura, mas se vc prestar atenção por um minutinho, vc vai perceber que a Helena é mais velha e se comporta como uma criança quase 2 anos mais velha.

Só que estas perguntinha…

Crianças bilingues

Acho que o maior desafio que tivemos aqui no Canadá foi inserir nossos filhos na cultura canadense sem deixa-los perder a lingua e a cultura brasileiras. No início parecia fácil, porque tanto o Eduardo quanto a Helena já falavam português quando chegaram, mas quando a Luisa começou a soltar a voz, eu percebi que meu trabalho seria árduo e longo!!!

Neste post aqui eu estava desesperada e pouco tempo depois a Luisa começou gaguejar, principalmente quando tentava falar portugues. Até agora eu  não sei ao certo o que eu fiz, mas o fato é que aos poucos todo mundo foi pegando fluência nas duas linguas e conseguindo passar de uma pra outra com tranquilidade.

É claro que eles têm algumas preferências: para falar entre eles, o inglês é mais facil e para assistir filmes, eles gostam de ver em português. Música tanto faz, eles gostam de qualquer coisa, até de lixo, rs rs rs rs.

Uma coisa que eu percebi foi que no inicio, o Edu e a Helena sempre pediam que eu falasse em português com eles: hj eles …

Ikea: paixão internacional

Será que exite vida fora do Brasil sem IKEA???

Eu vim conhecer esta loja de moveis e decoração aqui no Canadá. Logo que chegamos por aqui e tivemos que mobiliar nosso primeiro apartamento fomos para a IKEA. Me lembro como se fosse hj, eu seguindo as setas do chão e achando tudo horrivel.

Saí de lá super desanimada e sem comprar uma única agulha. Fomos então visitar outras lojas de moveis e eu descobri que a IKEA não era tão feia assim e que os preços eram os mais proximos daquilo que eu podia pagar naquele momento.

E foi lá que nosso primeiro cantinho foi mobiliado e continua sendo lá que compro a maioria dos moveis da minha casa. Acho que os moveis da IKEA são mais leves, mais alegres e deixam os ambientes com um ar mais aconchegante. Eu ainda insisto em visitar outras lojas, mas geralmente acabo voltando para comprar na IKEA.

O engraçado é que os moveis não mudam muito: de vez em quando aparece alguma novidade na loja, mas geralmente é sempre a mesma coisa. O que muda é a nossa necessi…

Pedestre canadense

O pedestre canadense acredita piamente que todos os motoristas estão atentos 100% do tempo e para provar que estão certos eles simplesmente pulam na frente dos carros quando vc menos espera.

Aquele negócio que a gente ensina pra criança brasileira de ficar "olhando para os dois lados" antes de atravessar, por aqui não existe. Os caras andam nas ruas lendo, ouvindo música, conversando com os amigos e fazem da faixa de pedestre uma extensão da calçada. Bastou ver que o farol está aberto para eles passarem, eles vão e o motorista que preste atençao.

Tudo seria muito simples se fosse como no Brasil que no farol vermelhor ninguem pode passar!!! Só que no Canadá vc pode fazer a conversão à direita, mesmo com o farol fechado, basta ver se não vem carro e se não tem nenhum pedestre atravessando. E tb podemos fazer a conversão à esquerda se não vem carro na direção contrária e não tenha nenhum pedestre atravessando!!!

Por mais que vc preste atenção, as vezes os pedestres simplesmente a…

Valentine's Day

O Valentine's Day é comparado ao dia dos namorados aqui no Canadá, mas na verdade é mais do que isso: é um dia onde as pessoas declaram seu carinho, sua amizade, seu amor às pessoas de quem gostam.

Nunca tive namorado por aqui, rs, então a experiência que tenho no Valentine's Day é a da escola das crianças. Neste dia e alguns dias antes também, as crianças entregam para os amigos cartões ou pequenos saquinhos com agradinhos dentro: lápis, borracha, figurinhas, adesivos, balinhas.

Normalmente eles levam para a classe inteira e para um ou outro amigo de outra classe.

O que eu acho o máximo é que não existe aqueles preconceitos de que menino não dá cartãozinho pra menino, rs. Aqui, macho que é macho manda cartão com corações para o amigo e os maiorzinhos escrevem o quanto gostam daquela amizade.

Eu sempre mando apenas cartõeszinhos para os colegas de classe, mas como este ano estou sem fazer nada, resolvi comprar uns presentinhos também. As crianças adoram este dia e ficam super fel…

Meu jeito de usar roupa de inverno

Pouco antes de vir para o Canadá eu lia qualquer coisa que estivesse relacionada com roupas de inverno e confesso que ficava muito preocupada em como seria. Cada um fala uma coisa, tem suas proprias dicas e no final de algum tempo, eu fiquei sem saber exatamente qual a melhor maneira de se agasalhar por aqui.

A grande verdade é que não existem regras rígidas e tudo depende da temperatura, de onde vc vai, quanto tempo vai ficar exposto ao frio.

No inicio, eu seguia a regrinha das camadas: principalmente pensando nas crianças, eu colocava uma camiseta de manga comprida, meia calça nas meninas (long John para o Edu), calça comprida de preferencia forrada, moleton, calça de neve, casaco de neve, touca, luvas, protetor de pescoço e saía com meus bonequinhos de pano.

O trabalho para se vestir era enooooorme e depois de vestidos não podiam ficar muito tempo esperando dentro de casa porque senao todo mundo começava suar em bicas, rs. E todo este trabalho era jogado no lixo 15 minutos depois. qua…

Aluno nota 10

Hoje eu convidei varios amiguinhos do Eduardo para virem aqui em casa depois da escola. Quando cheguei para pega-los, um deles veio e disse que talvez não possa vir porque não foi bem no ditado que eles fazem toda sexta feira.

Ele acertou só 7 em 10 palavras.

Sei lá, opinião minha: mas nunca deixo o Edu de castigo por não ter ido bem na prova. Na verdade acho que castigo por causa da escola nao dá certo. A nota baixa já o deixa bastante chateado e eu acho que é castigo suficiente.

Agora se ele fica enrolando para fazer a lição de casa, ele fica sem brincar porque ele sabe que primeiro tem que fazer a lição. Outras vezes, ele leva a lição sem fazer porque ficou com má vontade: pra ele isso é um castigo enorme porque ele detesta decepcionar a professora. Ainda mais porque eu disse que a professora larga o filho dela em um daycare para ir para a escola dele ensina-lo. Ele morre de peso na consciencia.

Agora não poder brincar numa sexta feira porque tirou nota 7 no ditado, eu acho exagero!!!

Bruno Mars

Quem?????? Pois é... Minha prima Vanessa linda e tudo-de-bom trabalha em uma revista de casamentos e colocou um link de um casamento da revista no Facebook dela. Eu, curiosa e apaixonada por casamentos fui ver o video e estava tocando a música aí de baixo.

A Helena se apaixounou pela música e pelo jeito também é chegada em casamentos: ai meu deus!!!!!

Agora a gente ouve a música sempre pelo youtube em varios videos diferentes e ela ama!!!

Esta semana estávamos vendo um video e ela pergunta:

- Mamãe, quando este moço vier cantar no Canadá, a gente pode ir ver????

- Não sei, mas em nome do meu amor incondicional e da minha promessa de te dar liberdade, vou pesquisar a respeito!!!

Ta bom, eu não disse isso!!! Eu disse:

- Não sei se vc pode ir, mas se puder, eu te levo!!!

Gentileza gera gente folgada

Eu sei que o mundo está precisando de mais gentileza, mais gente educada, mais simpatia e eu vivo tentando fazer a minha parte. O problema é que algumas pessoas confundem esta gentileza toda com oportunidade para se aproveitar.

A mãe de um dos amiguinhos do Edu é assim. Ela é super gentil e eu gosto muito dela e do menino, mas as vezes ela me irrita.

A semana passada ela convidou as crianças dela para virem aqui em casa no sábado. Eu acho esquisito vc sugerir um "playdate" (é como eles chamam estas visitas das crianças na sua casa) na casa do outro. Sempre que quero fazer alguma coisa para as crianças brincarem juntas, eu convido para virem aqui em casa. Mas como eu não tinha nada programado, nem liguei e o amiguinho do Edu veio e trouxe a irmã a tira-colo. Apesar da menina estudar na classe da Helena, elas não são lá muito amigas, mas acabaram brincando um pouco juntas.

Eu só sei que estas crianças chegaram as 12 para o almoço e as 5:30 a mãe me liga para perguntar se eu queri…

O dilema das sacolinhas plásticas

Eu tenho acompanhado pelo Facebook a indignação dos paulistanos por causa dessa lei da sacolinha plástica de supermercado e confesso que ainda estou indecisa se apoio ou não.
Aqui em Toronto uma lei parecida entrou em vigor em 2009. Por aqui, todo o comércio tem que vender as sacolinhas plásticas pelo valor de 5 centavos de dolar. No caixa, sempre se pergunta se vc precisa de sacolinha e quantas vai querer. Na maioria das lojas vc pode comprar as ecobags super coloridas, grandonas e que ironicamente foram produzidas na China (um país totalmente orientado para resolver os problemas de poluição do planeta!!! oi?).

Eu comprei em uma rede de supermercados aqui umas caixas plásticas com alças que são super práticas para carregar as compras, mas como são meio espaçosas eu as deixo sempre no porta-malas do carro e levo minhas compras soltas no carrinho. Outra opção super legal são as caixas de papelão que ficam em frente aos caixas nos supermercados No frills. Meu problema com as caixas de pap…

A dificil arte de viver com segurança em um país seguro

Todo brasileiro acha o Canadá seguro: claro, vindo de um país como o Brasil o Canadá é realmente super seguro. Mas a natureza humana não muda de um lugar para outro, então se os assaltos, roubos, assassinatos, sequestros e coisas assim não são comuns por aqui, os bandidos acabam procurando outra forma de colocar em uso a sua má índole.

Um crime muito comum por aqui, por incrível que pareça, são os crimes de estelionato. E como tem muiiiiito imigrante, muita gente que não fala direito a lingua e a gente tende a acreditar que o "canadense" é super bacana, os estelionatários atacam de varios jeitos.

Por exemplo: bate o cara na sua porta com um uniforme (quem conhece os uniformes oficiais, né?, uma pastinha, alguns papeis, canetinha na mão e despeja um discurso alarmante sobre os perigos de um tanque de água quente sem os novos selos de segurança.

É difícil não deixar a pessoa entrar na sua casa e verificar se está tudo certo com o seu equipamento. Na primeira casa que eu morei a…

Uma população em crescimento acelerado

Quando estava no Brasil as pessoas não cansavam de se admirar por eu ter 3 filhos. Nesta admiração, muitas pessoas chegaram a ser rudes dando a entender que minha mãe é quem ia sofrer para cuidar das crianças ou insinuavam que eu estava condenando os três a poucas possibilidades já que as coisas no Brasil são caras.

Eu acho que nunca dei uma resposta mal educada porque demorava pra entender o que as pessoas queriam dizer, rs.

Mas a verdade é que eu encontrei o meu lugar no mundo!!! Não sei se isso acontece em todo Canada: nem sei se acontece em toda cidade de Toronto, mas este bairro onde eu moro está em franco crescimento populacional.

Na escola das crianças os filhos únicos são raros: todo mundo tem irmão ou irmã na escola ou se preparando para entrar. 3 filhos é lugar comum e 3 amigas minhas me deixaram pra trás e já estão na casa dos 4 filhos. E as escadinhas têm degraus bem menores que a minha, rs.

O interessante é que quanto mais filhos, parece que mais ativas são as mães. A mulher…

Histórias que se criam

O ano começou e o carro do Sergio não fica mais na frente de casa. Um belo dia o vizinho me vê colocando duas malas enormes dentro do carro e sair. Horas mais tarde eu chego em casa e o mesmo vizinho me vê tirando compras do porta-malas (as malas tb sumiram). E então eu começo colocar o lixo, tirar a neve sozinha e sair pra cima e pra baixo com as crianças a tira-colo.

Sim: definitivamente ela está sozinha na casa!!!

Eu contei para 2 vizinhos sobre o Sergio e imagino que eles contaram para metade da rua, rs, mas a outra metade ainda não sabe e tb não consegue esconder a curiosidade. Eles me olham, cumprimentam, falam do inverno maravilhoso, mas não têm coragem de perguntar. E eu de maldade tb não conto!!!

PS: as malas eram de um amigo nosso que foi para o Brasil. Qd ele voltou eu fui levar na casa dele. Nem pensar em trazer homens pra casa quando o Sergio está viajando!!!

12 coisas que tornaram 2011 um ano memorável!

Este post foi escrito há tanto tempo, que quase perdeu o sentido, mas como este blog é uma espécie de arquivo pessoal, vou publicá-lo só agora!!!

Não posso negar que nós fechamos o ano de 2011 com chave de ouro. Apesar dos pesares, o último mês do ano foi de muita comemoração e esperança aqui em casa. Mas este ano já estava sendo um ano muito bom para mim e eu vou tentar listar 12 coisas boas que nos aconteceram nele.

A presença da Luisa Elena aqui em casa foi muito bom para todos nós. É bem verdade que ela chegou aqui em agosto de 2010, mas tivemos a sua companhia por 6 meses neste ano e foi maravilhoso. Nós sempre nos lembramos dela com carinho e guardamos esta experiência com muita alegria. Não vejo a hora de reencontra-la para colocar as fofocas em dia.Depois que meu pé melhorou (lembra que eu quebrei o dedo no inicio de dezembro de 2010?), eu fui patinar pela primeira vez na minha vida. No início eu achei que jamais conseguiria ficar em pé sobre os patins, mas contrariando minhas …

Peanut free environment (ambiente livre de nuts)

Eu já comentei aqui sobre as alergias a nuts (amendoim e seus parentes) que algumas pessoas têm aqui no Canadá. No início eu achava que era exagero, mas hj eu sei que a coisa é séria mesmo. Na escola das crianças tem uma menina que anda com uma Epipen o tempo, mesmo quando sai da classe pra ir ao banheiro.

Algumas alergias são tão sérias que só do alimento ter sido cortado com uma faça "contaminada" pelos nuts, a pessoa pode ter uma reação alérgica mortal.

Devido a estas alergia, todas as escolas por aqui tomam o maior cuidado com tudo o que se come dentro da escola e desta forma o lanche de todas as crianças tem que ser peanut-free (livre de nuts).

Nos mercados existe uma variedade enorme de bolachas, barrinhas, biscoitinhos que são peanut-free e que vêm com o símbolo ao lado, impresso na embalagem, o que facilita muito a vida da gente na hora de comprar.

E muitos lugares que recebem crianças, como os bufês de festas infantis, são também peanut-free. O local onde fiz a festi…

Meu lado mulherzinha

Apesar de ter nascido em uma casa cheia de mulheres (somos 4 irmãs) e eu ser a raspinha de tacho, eu nunca tive o meu lado cor-de-rosa aflorado.

Meu negócio era jeans e camiseta e tudo o que tivesse de mais prático à mão. Ao invés de ler a revista Capricho que a maioria das minhas amigas amavam, eu lia Veja. Na casa de uma das minhas melhores amigas, eu preferia discutir a corrupção do Maluf com o pai dela (malufista), a ficar arrumando o cabelo em frente ao espelho.

Mas, como todo exagero é prejudicial eu me arrependo muito disso, afinal, dava muito bem para falar mal do Maluf com o cabelo arrumado, né?

Eu demorei muito tempo para entender que as coisas podem ser maleáveis e que dá pra fazer de tudo um pouquinho sem se perder na superficialidade. É claro que houve todo um processo de mudança, as coisas foram acontecendo de forma lenta e muitos dos meus preconceitos foram caindo por terra.

Eu que só lia Rachel de Queiroz e Machado de Assis, aprendi a gostar de Sophie Kinsella e entender q…