Skip to main content

Posts

Showing posts from March, 2012

Esse calor e o meu vizinho "favorito"

É só esquentar um pouquinho e fica dificil vir escrever no blog. Se há uma coisa que a gente aprende aqui no hemisfério norte é aproveitar cada raio de sol como se fosse o último!!!

Este inverno 2011/2012 foi uma enganação total em Toronto (e acredito que em todo o Canadá). As temperaturas foram bem generosas ficando sempre em torno de zero grau. Não nevou quase nada e o pouco que caiu do céu já vinha derretendo pelo caminho. Tivémos três ou quatro nevascas que acumularam no chão, mas em poucas horas estava tudo derretido.

Sem contar que temperaturas de 25 graus no mês de março nunca tinham sido vistas em Toronto antes.

Com o início do calor, os vizinhos começam sair de suas tocas para limpar o jardim e cuidar da vida (dos outros). Meu vizinho mau educado agora fica me esperando todo dia quando vou levar as crianças na escola. Por coincidencia ele sempre esta atravessando minha calçada quando eu chego e basta eu dar bom dia pra ele puxar um papinho.

São longas conversas de 30 a 40 minutos…

No mundo das mães, pais não entram

Nas rodinhas em frente às escolas a presença feminina é muito superior à masculina. Muitos pais vão buscar os filhos na escola, mas geralmente conversam um pouquinho antes do sinal e assim que os filhos aparecem, eles somem junto com a criança.

Apesar de trocar duas ou três palavras com estes pais, as pessoas que realmente conheço na escola das crianças são as mães.

Vcs devem se lembrar do post sobre a mãe polonesa que "ia ver se a filha estava interessada em brincar com as meninas". A menina está interessada e esta semana o pai da menina veio conversar comigo e convidou a Luisa pra ir na casa deles. E durante nossa troca de palavras eu descobri que ele não está trabalhando no momento e fica cuidando da menina enquanto a esposa trabalha.

Eu, que sou uma mulher moderna, liberal e que acha que o homem deve ter os mesmos direitos e deveres que sua esposa... bem, eu fiquei assustadíssima, mas não consegui recusar!!!

O dia do convite foi um dia super confuso aqui em casa com voluntar…

Halifax

Estamos em Halifax há três dias aproveitando o march break. O Sergio conseguiu dois dias off no trabalho e então estamos podendo aproveitar bem o tempo juntos e matar as saudades. Eu imagino que ele nem vá sentir tanta falta quando formos embora visto a bagunça que fizermos no apartamento super organizado dele, rs. O apê é minúsculo e com três crianças trancadas aqui já da pra imaginar a bagunça.

Temos saído bastante, visitado todos os pontos turísticos e também alguns bairros residenciais para conhecer. Essa é uma mania que nós sempre tivemos desde que morávamos no Brasil: sair de carro meio sem rumo olhando os bairros, as casas, vendo as coisas que nos agradam e aquelas que não gostamos.

Tenho que dizer que minha primeira impressão da cidade não foi das melhores. Eu achei tudo muito antigo, diferente, mal cuidado. Acho que me influenciei um pouco pelos comentários que o Sergio fez da cidade e tambem por causa do dia horroroso. Estava um dia nublado, com céu carregado e aquela garoinha…

Comer é muito bom!

Que eu me lembre, eu nunca fui muito enjoada para comer. Talvez seja porque meu pai não gosta muito de coisas exóticas e minha mãe acabava sempre ficando entre o arroz-feijao-bife-salada ou arroz-feijao-frango-salada.

Mas de vez em quando ela variava e fazia umas coisas diferentes que eu amava como:

- pimentão recheado com carne moida.
- beringela a milanesa com molho de carne moida.
- bife de panela.
- bistequinha bem fritinha.
- carne com batata.
- linguiça com batata.
- sardinha à milanesa.

Tudo sempre acompanhado do arroz branco, feijão carioquinha (porque paulista que é paulista come feijão carioquinha) e salada de alface com tomate, pepino, couve de vez em quando.

Mas como deu pra perceber, carne era todo dia e eu confesso que ainda hj tenho dificuldade em preparar uma refeição sem carne. Sempre acho que está faltando alguma coisa.

O problema da comida da minha mãe é que ela sempre faz também legumes (como cenoura, beterraba, abobrinha, mandioquinha, jiló dentre outros) refogados ou bem co…

O mais novo da turma

Aqui na província de Ontario as crianças entram na escola no ano em que completam 4 anos (sem choro nem vela). Assim, a criança que nasceu em janeiro é a mais velha da turma e a que nasceu em dezembro é a mais nova.

As escolas não reprovam (pelo menos não declaradamente) e não existe negociação em relação a ida da criança para a escola. O Junior e o Senior Kindergarten (uma especie de jardim e pré-primário brasileiros) são opcionais, mas mesmo que vc resolva não colocar o seu filho de 4 aninhos na escola, quando ele entrar na escola aos 5 anos não vai para o "jardim" de infancia (JK), vai direto para o pré-primário (SK) e logicamente vai estar muito atrasado em relação às outras crianças que ficaram 1 ano na escola.

Desde a primeira escola que eu visitei por aqui, eu venho discutindo este sistema com todas as diretoras, professoras, auxiliares, faxineiras!!! E a resposta é sempre, sempre a mesma: "não se preocupe que ele vai ficar bem".

Minha preocupação é especialm…

Aprendendo a ler em inglês

Aprender a ler em inglês é uma arte que exige muito trabalho. Não estou falando de nativos de lingua portuguesa que aprendemos o inglês como segunda lingua: estou me referindo às crianças. Eu acho que o português é infinitamente mais facil de aprender a ler.

Demorou um certo tempo pra eu entender que a memorização das palavras mais frenquentes funciona muito bem. Quando a Helena estava no Junior Kindergarten eu ficava meio revoltada de ve-la "memorizando" listas de palavras. Eu sempre ficava me perguntando se não haveria uma regra para facilitar as coisas.

Infelizmente as regras da lingua inglesa foram feitas para serem desobedecidas e tenho que dar a mão à palmatória: aquela memorização toda funcionou super bem com a Helena.

O que acontece é que muitas palavras na lingua inglesa não seguem as regras para a pronúncia e as crianças acabam tendo dificuldade para ler estas palavras pelo som. O que eles fazem??? Memorizam estas palavras de forma que sempre que aparecem em um texto …

Patchwork

Eu sempre fui louca por patchwork: acho lindo demais. Quando eu era criança eu tinha uma colcha de retalhos que a minha avó fez há séculos atrás e eu a amava!!! É bem verdade que ela era feinha e escura demais, mas era literalmente uma colcha de retalhos, ou seja, meu pai era alfaiate, sobravam muitos pedaços de tecido e minha avó foi costurando tudo junto e fez a colcha.

Além de muito quentinha, ela era super pesada e eu sempre queria dormir com ela. Só muito tempo depois eu descobri que as colchas de retalho poderiam ser coisas muito lindas e delicadas e para minha surpresa, não eram feitas com retalhos, ao contrário: é mais dificil escolher os tecidos do que costura-los juntos.

Apesar da minha paixão, eu nunca me imaginei fazendo este tipo de trabalho porque não sei costurar à maquina. Sabe aquela história de que santo de casa não faz milagres??? Pois é, minha mãe é costureira e meu pai alfaiate, mas eu sei no máximo colocar a linha na máquina, rs.

De qualquer forma, sabendo ou nao …

Grosseria pode ser apenas tradução errada?

As vezes eu tenho a impressao de que algumas pessoas muito grosseiras na verdade não sabem falar inglês direito e acabam traduzindo sua lingua-mãe e mudando totalmente o sentido do que gostariam de dizer.

Há algumas semanas atrás eu tentei me aproximar de uma polonesa da escola das crianças. Ela só tem uma filha da idade da Luisa e a menina nunca participa de nenhum playdate (qd as crianças vão passar a tarde na casa do colega). Os pais trabalham e normalmente correm até a escola para pegar a menina e levar para a casa da avó.

Eu fico morrendo de pena da menina que só fica vendo a criançada indo de uma casa na outra e ela sempre sozinha. Cheguei para a mãe e perguntei se a menina não gostaria de ir na minha casa brincar com a Luisa e a Helena. A mãe vira e diz:

- Eu vou ver se ela está interessada!!!

Eu confesso que fiquei pensando nesta frase por varios dias sem saber ao certo se foi um talvez, se eu deveria insistir ou esquecer. Esqueci.

Esta semana o pai da menina veio todo sorridente p…

Meu país é muito melhor!!!

Se tem uma coisa que é irritante em um imigrante é esta história de que tudo em seu país é melhor!!! De cada 10 imigrantes que eu conheço, 9 dizem que seu país é melhor: que a comida é melhor, que a educação é melhor, que o clima é melhor, tudo é melhor!!!

Eu as vezes me irrito um pouco com os próprios canadenses que não dão um "respostão" para estas listas de vantagens que os outros países têm em relação ao Canadá.

Se seu país é tão melhor "O QUE VC ESTÁ FAZENDO AQUI?" Volta pro seu país melhor!!

Hoje eu estava conversando com meu vizinho da eslováquia ou eslovenia (não lembro). Ele não cansa de listar as vantagens que seu país tem em relação ao Canadá. E não só o país dele: a Europa como um todo é muito melhor que aqui!!! A educação do país dele é muito melhor que a daqui! As pessoas do país dele são muito mais educadas e gentis que as daqui (provavelmente ele aprendeu a ser grosseiro com os canadenses!!!). Os governos governam melhor lá, até os onibus funcionam me…

Não se pode punir a verdade

Conforme as crianças vão crescendo, elas vão aprendendo que muitas vezes uma mentirinha inocente pode salva-las de problemas. Então, quando a mãe pergunta:

- Quem fez está bagunça na sala?

A resposta mais facil é:

- Não fui eu!

E assim, nunca foi ninguem. Assim como as brigas sempre começaram pelo outro, quem mexeu nas minhas coisas foi o outro e por aí vai... Além disso, como sempre tem crianças visitando a nossa casa, é super fácil colocar a culpa de tudo nas costas do amiguinho que já foi embora.

É um exercício de paciência e muito diálogo para faze-los entender que a mentira tem perna curta e que quando os pais querem sempre conseguem descobrir a verdade. Eu repito sempre que o tempo que vamos perder tentando encontrar a verdade é o tempo em que eles poderiam estar brincando.

Então hoje, fui dar boa noite para a Helena e achei o contorno dos olhos dela super avermelhados. Fiquei super preocupada olhando e quando perguntei se ela tinha passado alguma maquiagem, ela foi enfática em dizer …

Placas de carro personalizadas

Já faz muito tempo que estou querendo escrever sobre isso porque tenho me divertido muito com o assunto.

Aqui em Ontário as placas novas dos carros das pessoas têm 4 letras e 3 números (XXXX 000). Sim, das pessoas, porque a placa pertence à pessoa e não ao carro. Quando vc troca de carro, vc simplesmente tira sua plaquinha do carro velho e coloca no novo! Bem, não é tão simples assim, tem que ir no "detran" daqui, mas deu pra entender, né?

Nosso interesse pelas placas dos carros começou quando o Sergio tirou a carteira de motorista canadense. A placa dele começa com BFxx 000 e ele sempre ficou tentando advinhar qual seria a minha placa porque eu estava demorando para tirar carta.

Pela minha demora, acabou sendo BKxx 000 e até hoje a gente fica olhando as placas e tentando descobrir em que letra está. A mais nova que eu vi aqui foi uma BN.

Mas alem das placas que seguem esta sequência, nós percebemos que existem umas placas diferentes, que saiam totalmente desta sequencia. Parec…

Velhinhos independentes

Quando cheguei no Canadá eu confesso que me surpreendi com o número de idosos circulando por aí. Dependendo do horário, pra todo lado que eu olho só vejo pessoas acima dos 70 anos. E é raro vc ver os filhos ajudando os pais, ao contrário, os pais idosos é que muitas vezes ajudam os filhos que trabalham fora. Muitos vovôs e vovós da redondeza cuidam dos netos, vao buscar na escola e levam para as atividades da tarde.

Tem um shopping aqui perto de casa que é um ponto de encontro de idosos pela manhã: eu me sinto uma menininha fazendo compras lá!!!

E todo mundo dirigindo seu carrinho, carregando suas proprias compras e muitos até se ofendem se vc pensar em ajuda-lo! Por outro lado, eles adoram ajudar: vira e mexe algum deles vem correndo para me ajudar a abrir a porta do carro quando estou com as mãos ocupadas.

Apesar da maioria dirigir, eles também têm consciencia de que caminhar faz bem e muitos andam a pé, mesmo com o frio. Se as pernas já estão cansadas, eles usam suas bengalas sem nenh…