Skip to main content

Esse calor e o meu vizinho "favorito"

É só esquentar um pouquinho e fica dificil vir escrever no blog. Se há uma coisa que a gente aprende aqui no hemisfério norte é aproveitar cada raio de sol como se fosse o último!!!

Este inverno 2011/2012 foi uma enganação total em Toronto (e acredito que em todo o Canadá). As temperaturas foram bem generosas ficando sempre em torno de zero grau. Não nevou quase nada e o pouco que caiu do céu já vinha derretendo pelo caminho. Tivémos três ou quatro nevascas que acumularam no chão, mas em poucas horas estava tudo derretido.

Sem contar que temperaturas de 25 graus no mês de março nunca tinham sido vistas em Toronto antes.

Com o início do calor, os vizinhos começam sair de suas tocas para limpar o jardim e cuidar da vida (dos outros). Meu vizinho mau educado agora fica me esperando todo dia quando vou levar as crianças na escola. Por coincidencia ele sempre esta atravessando minha calçada quando eu chego e basta eu dar bom dia pra ele puxar um papinho.

São longas conversas de 30 a 40 minutos levando coices e patadas, rs.

Esses dias ele me disse que eu preciso limpar minha grama da frente (já limpei - sou super obediente) porque senao ela nao vai conseguir crescer. Quando eu disse que estou sem tempo, ele respondeu:

- Como sem tempo!!! Eu sou muito mais ocupado que vc e já limpei a minha. Veja a minha blue grass (é um tipo de grama) como está verdinha.

A minha reação foi cair na risada na cara dele! Ele lá brigando comigo e dizendo todas as coisas que ele tem que fazer e eu rindo.

No outro dia, ele me contou que era casado na Eslovenia e que quando foi passar 3 meses servindo o exército a mulher dele o traiu com o primo. Mas ele não condena o primo porque quem estava errada era ela, afinal ela tinha que se dar ao respeito.

Eu disse que os dois estavam errados porque afinal de contas, o cara é o primo dele. Mas ele fechou a questão: Não, ela é quem foi culpada. O primo só fez o que tinha que fazer!

Então eu disse: "é por isso que eu não trago nenhum amigo do sexo masculino aqui em casa quando o Sergio não está" e ele:

" É isso mesmo, vc tem que respeitar o seu marido e os vizinhos falam muito da vida dos outros nesta rua".

Num outro dia ele estava me contando que a filha era uma "galinha" quando era jovem. Ela fugia com namorados e ficava varios dias fora. E que agora ela não vem ajuda-lo a cuidar da esposa porque esta "procurando homem". Então ele disse: "eu não me casaria com ela nem se me oferecessem 1 milhão de dolares."

Mas o filho, que tb nao vem visita-lo, este está desculpado, afinal, homem é diferente. Eles são muito ocupados.

E eu fico ouvindo estas coisas e estou desistindo de discutir. Na verdade eu morro de pena dele e da solidão em que ele vive porque aqui na rua a maioria das pessoas nem o cumprimentam mais para não correr o risco de ter que ficar conversando com ele.

Pra sorte dele, eu sempre bato um papinho quando chego de manhã e,  à tarde, ele pega o filho da minha vizinha que está voltando da escola. Eu espero que nós dois (eu e o filho da vizinha) estejamos diminuindo um pouquinho a solidão deste senhor: rude, ignorante e machista, mas ainda assim, uma pessoa que precisa de um pouco de carinho.