Apr 29, 2012

Sarnia

E lá vamos nós de novo com mais mudanças e mais emoções!!!

Depois de 4 meses trabalhando em Halifax, o Sergio recebeu uma proposta para trabalhar em uma empresa de engenharia em Sarnia. A história toda será contada por ele, mas eu quero mesmo é falar da nova cidade onde ele vai morar a partir da semana que vem.

Sarnia é a maior cidade do Lake Huron com seus 89,555 habitantes (grande Sarnia, rs). Apesar de ser bem pequena, ou talvez por isso mesmo, eu me apaixonei!!! A cidade é linda!!! Ela fica há uns 280km da minha casa, mais ou menos 3 horas de carro.

Na verdade, a cidade se parece muito com o bairro onde eu moro em Toronto, mas acho que é ainda mais bonita. O ritmo me pareceu aquele de cidade do interior e apesar de gostar de um pouco de movimento, eu fiquei encantada!

Passamos o domingo lá procurando um apartamento para o Sergio. A grande dificuldade de aluguel por aqui é que é complicadíssimo encontrar um lugar para se mudar já: quase todos os lugares que vimos tinham alugueis para o inicio de junho e ficar um mês em hotel ia ser meio caro.

Mas com um pouco de conversa o Sergio acabou conseguindo alugar um apartamento que estava sendo desocupado hj. E o melhor: este mês já foi pago pelo antigo morador e ele só começa pagar em junho.

Estamos super animados com esta nova distância: ele vai poder vir para casa todo final de semana e de repente pode até nos fazer uma surpresinha de vez em quando. Quando não quiser dirigir, pode pegar o Trem que vem direto para Toronto com apenas 2 ou 3 paradas. Sem contar que eu tb poderei ir visita-los com as crianças sem grandes problemas e gastos.

Outras duas vantagens desta cidade: ela fica na província de Ontario (onde já sabemos como tudo funciona) e na divisa com os EUA (o que facilita para o marido liberar umas comprinhas do outro lado da fronteira).

Apr 26, 2012

Alcachofra

Vc já comeu alcachofra?

Eu já! Pra falar a verdade, eu como alcachofra desde de criança e é um dos meus pratos prediletos!!! Eu me lembro que toda vez que minha mãe comprava, a familia inteira ficava feliz!!!

Mas, muita gente (muita gente mesmo) não conhece este vegetal ou nem imagina como se come este negócio que parece uma flor, mas as pétalas são folhas e todo mundo diz que se come com as mãos...

Minha mãe sempre comenta que quando compra alcachofra aparece alguem e pergunta como se prepara esse negócio. E ela sempre ficava explicando a receitinha deliciosa dela. E eu estou constatando que as coisas não mudaram nada nada e quando compro alcachofra (aqui ou no Brasil) sempre aparece alguem perguntando como eu preparo.

Aqui no Canadá se vende muito o "coração" da alcachofra em conserva ou temperado. Eu amo, sempre compro pra comer com pão, mas não é a mesma coisa!!! A alcachofra pra ter graça tem que ser comida igualzinho minha mãe faz: recheada, cozida e depois vai tirando folhinha por folhinha e molhando no molhinho de vinagre-oleo-sal-agua-do-cozimento.

Então, meus leitores queridos, vou contar aqui como minha mãe prepara este prato tão peculiar e que causa tanta estranheza em quem ainda não conhece!

Para comprar:

No Brasil se encontra alcachofras super bonitas, grandes e vistosas. Mas as vezes elas estão duras e o espinho que tem perto do miolo não pode ser comido. Por isso eu sempre preferi comprar as menorzinhas. Aqui no Canadá eu não costumo encontrar as grandes. Normalmente elas são pequenas e pra ser honesta, muitas vezes parecem meio muchinhas. Mas têm funcionado bem.

Para limpar:

Eu sempre corto o talo bem rente à alcachofra para que ela fique em pé. Depois tiro as folhas velhas e as mergulho em água com limão para que elas não escureçam. Um detalhe interessante é que não me lembro de ter visto alcachofra com espinhos nas pontas das folhas no Brasil. Mas as que encontro aqui em Toronto têm espinhos e precisam ser retirados porque eles realmente machucam o dedo. Então com uma tesoura eu corto a ponta das folinhas para tirar os espinhos e depois corto a parte de cima da alcachofra para ficar mais facil de colocar o recheio e não correr o risco de furar a ponta dos dedos com eventuais espinhos.

Recheio:

O recheio pode ser a gosto. Já me deram varias receitas com por exemplo carne moida refogada ou um recheio de frango (tipo recheio de coxinha). Eu gosto, é claro, do recheio que minha mãe faz, rs...

- 5 fatias de pão de forma ou 1 paozinho frances amanhecido
- leite para molhar o pão
- salsinha e/ou cebolinha bem picadinhas
- sal
- queijo (mussarela, provolone, parmesão, queijo tipo minas - eu já fiz com todos eles e ficou muito bom).

Eu molho o pão no leite e depois expremo com as mãos para tirar o excesso de leite. Nesta massa de pão eu coloco todos os outros ingredientes e misturo bem.

Rechear a alcachofra

Para rechear, eu abro gentilmente as alcachofras para não correr o risco de arrancar todas as folhas. Vou abrindo primeiro as folhas externas até chegar na parte mais interna. Neste "buraco" eu coloco o recheio.

 Encho bem a alcachofra com o recheio e levo para cozinhar em água fervente. Esta pronta quando as folhas se soltam facilmente ao serem puxadas (+/- 40 minutos).

Dicas:

- tomar cuidado para a água não evaporar totalmente e queimar o fundo das alcachofras. Eu sempre vou colocando mais água conforme vai evaporando.

- tomar cuidado para não colocar muita água, porque senão elas podem boiar e tombar.

- eu procuro pegar uma penela onde as alcachofras todas caibam certinho, assim umas apoiam as outras e não tem risco delas virarem e o recheio cair.

Comer

Eu sempre preparo um molhinho de vinagre + um pouquinho de óleo + sal + um pouco da água de cozimento (ela fica um marrom-amarelado). Eu gosto de colocar a água do cozimento pra diluir um pouco o vinagre.

E então começa o ritual: vai pegando as folhinhas, molha a parte de baixo (que fica grudada na alcachofra) no molho e "puxa com o dente a carninha".  Conforme vai chegando no meio da alcachofra, estas folhinhas vão ficando cada vez mais molinhas e dependendo da alcachofra, dá pra comer a folhinha inteira.

Quando acabam as folhinhas, a alcachofra tem uma camada de espinhos. Nas alcachofras chamadas duras, estes espinhos não podem ser comidos, então eles devem ser retirados, mas com cuidado para não perder o coração da alcachofra que esta logo abaixo deles. Quando a alcachofra está molinha, dá pra comer tudo, inclusive estes espinhos.

E após os espinhos, vem o coração da alcachofra que é quase um premio pela paciencia.

O recheio eu vou comendo junto com as folhinhas, tb com o molhinho. O que eu mais gosto é de comer alcachofra com arroz e feijão acompanhando.

Meu marido não tem paciencia porque acha que demora demais. Então estou aproveitando a ausencia dele pra fazer alcachofra sempre que encontro. A semana passada tinha no No Frills 4 alcachofras por 1 dolar. Eu fiz duas vezes (8 de cada vez) e quase morri de tanto comer!!!

Como quem sai aos seus não degenera, minhas crianças também gostam bastante! Espero que vcs tentem um dia: é no mínimo diferente e pode ser uma boa idéia para receber uma visita especial.

Apr 23, 2012

falta de respeito e cara feia

Como as crianças fazem varias atividades aqui no bairro, alem da escola, a gente acaba sempre encontrando varias pessoas conhecidas por onde a gente passa. Infelizmente algumas pessoas que cruzam o nosso caminho não são exatamente agradáveis de se encontrar.

Tem uma moça (talvez canadense???!!!!) cuja filha tem a idade das meninas. Nós já nos encontramos em varias atividades: ballet, tap, natação... e em todas elas eu só constatei minha primeira impressão em relação a ela, que foi a de uma pessoa folgada, sempre atrasada, que atrapalha o andamento das coisas e não dá educação para os filhos.

As crianças dela até que não são das piores, mas são aquelas que fazem o que querem e ela nunca interfere.

Eu que estava toda feliz que a menina desistiu de fazer o tap, descobri que ela mudou de dia/ horario e descobri que o novo horario é as 6 da tade de segunda feira e o Edu e a helena têm tennis no mesmo dia até as 6. Como o menino tem alguma atividade antes, ela fica esperando a hora da dança da filha, na quadra de tenis. 

E a menina  atrapalha a aula de todos os jeitos possiveis que uma criança pode atrapalhar e o professor (super jovem e simpático) não parece ter coragem de avisar que a menina está atrapalhando. Toda hora ele tem que parar a aula para esperar a menina passar em frente à rede ou ir buscar uma bolinha que saiu rolando para o meio da quadra.

Há duas semanas atrás, a menina simplesmente decidiu tentar fazer cestas com as bolinhas de tennis em uma das cestas de basquete que tem no ginásio.

Será que alguem consegue adivinhar quem estava sentada exatamente embaixo da cesta de basquete????

Eu fiquei só olhando a menina com cara de poucos amigos. Coloquei a Luisa (que já estava há quase uma hora sentadinha comigo escrevendo) sentada no chão entre minhas pernas para protege-la da bola e esperei.

A bolinha bateu no banco, bateu na parede perto da minha cabeça, caiu em cima da minha bolsa... e a mãe, parada na porta aplaudindo as jogadas da menina (dá pra acreditar????). Até que finalmente a bolinha caiu no meu colo, eu peguei a bolinha, olhei para a menina, estiquei meu braço pra frente e soltei a bolinha sem tirar os olhos da menina.

Ao longe eu só ouvia a mãe (que sempre é super escandalosa) sussurrando: "Emma, Emma, come here!!!".

A menina pegou a bolinha, jogou na cesta do professor e saiu da sala olhando pra mim... e eu olhando pra ela séria (mas rindo por dentro e morrendo de dó porque na verdade a culpa não era dela).

O que aconteceu a seguir eu não sei. Só sei que as duas não apareceram mais na aula de tennis das crianças.

Apr 17, 2012

Ter ou não ter

Uma amiga trocou de carro recentemente e agora tem DVD no carro. Segundo ela mesma me disse, ela estava louca para um carro com DVD para as crianças poderem assistir durante os percursos e não ficarem entediados.

Os filhos dela adoraram e os meus se animaram também. Os três vieram comentando sobre os tal DVD mesmo sem terem andado no carro dela ainda, rs.

E eu fiquei pensando no assunto. E fiquei observando o tédio das minhas crianças quando estão no carro.

Todo dia é a mesma ladainha: cada um tem uma coisa para levar para o carro: livros, bonecas, bolsas, óculos de sol, protetor labial, telefone celular... Os percursos que fazemos de casa pra escola, da escola pra casa, de casa para os esportes e vice versa, são momentos para eles fazerem alguma coisa. E eu me surpreendi nestas minhas observações de como eles usam a imaginação para passar o tempo.

Como os três usam buster, eles têm muita mobilidade para mudar de lugar no carro (eu tenho uma van com 7 lugares, ou seja, eles têm 5 lugares para se revezarem livremente. E eles mudam de lugar o tempo todo.

E conversam, e brigam, e contam historias da escola, cantam, leem uns para os outros, brincam de fazer de conta, brincam que estão no ônibus escolar (eu sou a motorista e todo mundo fala em ingles nesta brincadeira), prestam muita atenção no percurso e me fazem milhões de perguntas sobre tudo o que vêm e acontece no caminho.

Destes pequenos percursos muitas discussoes interessantes já surgiram, discussões estas que normalmente a gente continua em casa, procurando alguma coisa na internet sobre o assunto ou fazendo uma brincadeira com tintas para ver as cores primárias, secundárias terciárias: tudo porque eles estavam olhando pela janela do carro.

Muitas vezes eles brigam também, um mostra uma coisa e os outros choram porque não conseguiram ver. As vezes eu tenho que fazer o retorno porque todo mundo reclama que quer ver melhor algo que estava acontecendo "alí atrás".

Mas o fato é que prender a atenção dos 3 em um DVD talvez empobrecesse estes momentos, em que estamos obrigatoriamente juntos, sem ter como fugir um dos outros. E eu ainda não consegui me convencer de que seria bom para eles.

Por enquanto, a Helena leva o seu DVD portátil para o carro e eles assistem os filmes com o DVD no colo dela. A vantagem deste método é que eles têm tantas coisas para levar nas "viagens" que muitas vezes não sobra espaço para o DVD.

Apr 15, 2012

Guardando as memórias

Uma das coisas que as minhas crianças mais gostam é quando conto coisas da "infância" deles e que eles já se esqueceram. Eles ficam interessadíssimos com qualquer história sobre a gravides, o parto ou quando começaram (andar, falar, usar o banheiro) fazer qualquer coisa.

Eu repito as mesmas histórias várias vezes e algumas delas, eles até vão recontando junto comigo, como se ainda se lembrassem daquele dia, rs.

Muitas vezes eu dou uma vasculhada no blog pra refrescar minha memória e contar algum outro fato que as vezes eu me esqueço e tb costumo guardar muitas coisinhas deles. Então eu guardei os testes de gravides, cordão umbilical, a primeira mecha de cabelo que cortei, a primeira chupeta, todos os dentinhos que estão caindo, a primeira escova de dentes e mais um monte de coisinhas que no fundo não servem pra nada, mas estão cheias de histórias.

Também guardei o primeiro macacão que os três usaram (meu marido quis que os três usassem o mesmo) e alguns brinquedos.

Mas quando o assunto são os brinquedos das crianças, eu tenho um problemão porque morro de pena de doá-los. Quanto mais velho o brinquedo mas eu me apego a ele, rs. Nesta loucura eu tenho o primeiro lego, o primeiro ursinho de pelúcia, o primeiro quebra-cabeças.

Uma amiga tem uma filha de 3 aninhos e eu louca para dar um dos quebra-cabeças das crianças para ela, mas não consigo... acabei comprando um diferente, mas aqueles 8 que comprei no Brasil quando o Eduardo tinha menos de 2 aninhos são de estimação.

E não só pra mim, mas esta loucura influenciou meu marido e até as crianças. Mesmo sendo super faceis, os três adoram monta-los e na ordem que eles faziam quando estavam aprendendo (primeiro os de 4 peças, depois os de 6, os de 9 e finalmente os de 12 pecinhas).

E hoje, eu estava com varias molduras aguardando uma foto bonita e fiquei pensando o que eu poderia colocar alí. De repente me veio a idéia dos quebra-cabeças e gente... parece que eles foram feitos para aquelas molduras. O tamanho era exato e ficou muito bonitinho.

As meninas amaaaaaram a idéia e ficaram um tempão apreciando a parede do quarto delas como se estivessem vendo uma grande obra de arte. E adorei ver aquelas memórias guardadinhas alí.

Apr 10, 2012

O DVD que sumiu

Uma semana antes de viajar para Halifax eu peguei uns DVD's para as crianças na Biblioteca. Claro que a data de devolução era exatamente a data da viagem!!! E é obvio que eu não tive tempo de ir devolver!!!

E aqui funciona assim: vc leva os itens para casa e tem um tempo para ficar com eles. Caso não devolva na data prevista, a biblioteca cobra uma multa diária. O valor não é muito alto, mas eu acho super chato quando tenho que pagar por material atrasado!!!

Como uma amiga foi me levar no aeroporto, eu pedi que ela levasse os DVD's na biblioteca pra mim para não ficar em atraso. E qual não foi a surpresa dela ao chegar lá e descobrir que uma das caixinhas estava vazia????

Pois é, eu entreguei a caixa vazia. Para facilitar as coisas, ela renovou o empréstimo e quando eu cheguei de viagem fui procurar o DVD e simplesmente não o achei. Eu e as crianças viramos a casa do avesso e nada... Chegou a nova data de devolução e ele simplesmente desaparecido.

Passados uns dois dias da data eu decidi que tinha que resolver esta situaçao, tinha que ir lá e explicar que o DVD simplesmente tinha caído no buraco negro!!!

E foi então que a noticia salvadora veio: as bibliotecas de Toronto tinham entrado em greve e eles estavam pedindo que todos os itens emprestados fossem mantidos com a gente para facilitar. Com esta greve redentora eu tive mais alguns dias para procurar o tal DVD e foi trocando alguns moveis da minha sala de lugar que eu encontrei um CD caído embaixo do gaveteiro do computador.

Acreditem, eu me abaixei pra pegar rezando para que fosse o tal DVD perdido... e era!!!

Dois dias depois de te-lo encontrado, a greve terminou e eu fui com a maior cara de pau entregar os itens que estavam na minha casa. Coloquei tudo no balcão e fui ver "onde estavam as crianças, rs". Ainda saí de lá com mais um monte de livros e DVD's!!!

E hoje fui dar uma olhada na minha conta para ver quanto estou devendo para a biblioteca e minha grata surpresa foi descobrir que eles não consideraram o atraso e estou zerada!!!

Em pensar que quase tive que passar o carão de dizer pra bibliotecária:

"Eu perdi o DVD! Desculpa!!!"

Ai que alívio!!!

Apr 1, 2012

Corujice total

Ontem à noite a Luisa leu o seu primeiro livro sozinha!!! Na verdade foi a primeira vez que caiu a ficha de que ela já conhece muitas palavras e que colocando-as umas depois das outras, elas podem fazer algum sentido e formar frases... formar uma história!

Nós temos estudados as sight words que a professora pede para estudar em casa e ela já consegue reconhecer as 22. E com os  outros livrinhos que eu leio para eles, ela já memorizou mais um monte de palavrinhas comuns. Um dos exercicios que ela sempre faz é procurar por estas palavras que ela conhece nos textos, nos livrinhos, no jornal, nas revistas... A gente sempre brinca de procurar palavras e sem ela perceber, ela vai estudando e consolidando. Mas ontem, ela pegou um livrinho da Dora e percebeu que com as palavras que ela conhecia e os desenhos do livro ela conseguia ler e entender a história.

Estes livrinhos da Dora são muito legais porque eles são feitos com palavras super simples e repetitivas e quando aparece uma palavra mais dificil eles colocam um desenho sobre a palavra. A criança vai lendo as palavras que conhece e consegue adivinhar atraves do desenho o outra palavra. E acaba aprendendo tb esta palavra.

Vcs não imaginam como ela ficou feliz em conseguir ler aquele livro que ela adora e que sempre depende de alguem para ler pra ela. Agora caiu a ficha de que lendo, aprendendo as palavras, ela pode ser independente e não depender de ninguem.

Bem vinda, Luisa, ao maravilhoso mundo da leitura!

Mantendo o Português das crianças

- Mama, eu posso comer as sereias? - Acho melhor voce comer as cerejas!