Skip to main content

falta de respeito e cara feia

Como as crianças fazem varias atividades aqui no bairro, alem da escola, a gente acaba sempre encontrando varias pessoas conhecidas por onde a gente passa. Infelizmente algumas pessoas que cruzam o nosso caminho não são exatamente agradáveis de se encontrar.

Tem uma moça (talvez canadense???!!!!) cuja filha tem a idade das meninas. Nós já nos encontramos em varias atividades: ballet, tap, natação... e em todas elas eu só constatei minha primeira impressão em relação a ela, que foi a de uma pessoa folgada, sempre atrasada, que atrapalha o andamento das coisas e não dá educação para os filhos.

As crianças dela até que não são das piores, mas são aquelas que fazem o que querem e ela nunca interfere.

Eu que estava toda feliz que a menina desistiu de fazer o tap, descobri que ela mudou de dia/ horario e descobri que o novo horario é as 6 da tade de segunda feira e o Edu e a helena têm tennis no mesmo dia até as 6. Como o menino tem alguma atividade antes, ela fica esperando a hora da dança da filha, na quadra de tenis. 

E a menina  atrapalha a aula de todos os jeitos possiveis que uma criança pode atrapalhar e o professor (super jovem e simpático) não parece ter coragem de avisar que a menina está atrapalhando. Toda hora ele tem que parar a aula para esperar a menina passar em frente à rede ou ir buscar uma bolinha que saiu rolando para o meio da quadra.

Há duas semanas atrás, a menina simplesmente decidiu tentar fazer cestas com as bolinhas de tennis em uma das cestas de basquete que tem no ginásio.

Será que alguem consegue adivinhar quem estava sentada exatamente embaixo da cesta de basquete????

Eu fiquei só olhando a menina com cara de poucos amigos. Coloquei a Luisa (que já estava há quase uma hora sentadinha comigo escrevendo) sentada no chão entre minhas pernas para protege-la da bola e esperei.

A bolinha bateu no banco, bateu na parede perto da minha cabeça, caiu em cima da minha bolsa... e a mãe, parada na porta aplaudindo as jogadas da menina (dá pra acreditar????). Até que finalmente a bolinha caiu no meu colo, eu peguei a bolinha, olhei para a menina, estiquei meu braço pra frente e soltei a bolinha sem tirar os olhos da menina.

Ao longe eu só ouvia a mãe (que sempre é super escandalosa) sussurrando: "Emma, Emma, come here!!!".

A menina pegou a bolinha, jogou na cesta do professor e saiu da sala olhando pra mim... e eu olhando pra ela séria (mas rindo por dentro e morrendo de dó porque na verdade a culpa não era dela).

O que aconteceu a seguir eu não sei. Só sei que as duas não apareceram mais na aula de tennis das crianças.