Skip to main content

Orgulho de ser brasileiro

Desde que me mudei para o Canadá, eu tive varias oportunidades de sentir vergonha de ser brasileira: seja em histórias que me contam sobre as trapalhadas de brasileiros no exterior, seja por histórias que estrangeiros me contam sobre violências que sofreram em viagem ao Brasil, seja pelo comportamento que eu presencio de alguns brasileiros sem noção que cruzam o meu caminho.

Assim como muitos brasileiros no exterior, eu fico furiosa quando me perguntam se eu falo espanhol, também detesto quando acham que toda brasileira anda pelas ruas sambando de fio dental e acho um saco ter que explicar que no Brasil também tem brancos.

São vários esteriótipos que nos tornam seres quase extraterrestres. As pessoas acham que os brasileiros são exóticos, que vivemos no meio de florestas cercados por macacos e aves multicoloridas. Todo mundo é feliz no Brasil, está sempre sorrindo, dançando e celebrando a vida apesar da extrema popreza em que vivemos!!!

Quando eles conhecem uma familia como a minha, que está um pouco longe da imagem que todo mundo tem de brasileiro, eles ficam muito confusos!!! Confusos porque nós detestamos carnaval, adoramos música americana, não convivemos com muitos brasileiros e levamos uma vida muito parecida com a deles. Meus filhos falam português fluentemente mas não frequentam nenhuma escola de brasileiro, têm amigos de varios países e culturas diferentes e pra ser sincera, conhecem muito pouco da cultura brasileira.

Mas existe uma coisa em nós, brasileiros, que é diferente. Por mais que a gente não se identifique com os esteriótipos, nós temos um jeito de ser tão peculiar que faz as pessoas se sentirem à vontade, elas se soltam, conversam com menos cerimônia, nos contam coisas intimas que nós não contaríamos (pelo menos não os paulistanos, rs) pra qualquer um.

De uma maneira geral, o brasileiro é mais inclusivo: tanto faz a cor do olho, do cabelo, da pele. Tanto faz o carro, a casa e a marca da roupa!!! Todo mundo é interessante para nós e a gente adora conhecer coisas e pessoas diferentes. No exterior, o brasileiro adora experimentar, é curioso, é gentil, sorridente e faz coisas não muito usuais...

Até as crianças percebem que nós somos diferentes, talvez porque a gente trate as crianças com mais proximidade, sem este papo de senhor e senhora (tem mães que obrigam os filhos a me chamarem pelo meu sobrenome!!!). Que nada!!! Eu sou a Mari ou a Mary ou a Maria, mais conhecida como a mãe do Edu, da Helena e da Luisa. Sabe aquela doida que ajoelha no chão pra ficar na altura da criança e conversa, beija e abraça, deixa eles entrarem no carro pra brincar, deixa eles colarem folhas molhadas nos vidros do carro, levanta a molecada para alcançarem as amoras da árvore e quando as mães chamam e os filhos não obedecem, ela vai lá e traz a criança pela mão (e faz sermão no caminho).

E a mãe que luta boxe com os filhos e os amiguinhos!!! Gente, eu faço isso o tempo todo, alem de dar chute no bumbum e apostar corrida até o carro!

No início, algumas mães olham torto, ficam meio desconfiadas, mas depois de um tempo, até elas ameaçam entrar na brincadeira.

Eu acho que o que o brasileiro tem de melhor é a espontaneidade e quando eu parei de me preocupar com os esteriótipos, com o que os outros iam falar, iam pensar, iam achar... deixei pra lá aquele medo de parecer idiota e voltei a ser simplesmente aquele brasileiro comum que tem aos montes no Brasil, eu comecei a achar super legal ser brasileira.