Skip to main content

EUA 1 X 0 Canadá - primeiro post

Dentre as muitas coisas deliciosas que fizemos na Disney, neste march break, uma coisa inevitável foi comparar os EUA com o Canadá. Desde que morei em Atlanta, em 2005, eu virei fã do Tio San e quando resolvi vir para o Canadá eu tinha a idéia de que estava me mudando para um lugar ainda melhor.

Após 4 anos vivendo em Toronto minha imagem do Canadá mudou bastante e muitas vezes eu tenho a impressão de que estou morando em um lugar intermediário entre Brasil e Estados Unidos. Apesar de amar o lugar onde eu vivo e agradecer todo dia a este país pela grande oportunidade (que o Tio San não nos deu), eu vejo muitos e muitos defeitos por aqui. Voltando para os EUA depois de 8 anos foi inevitável relembrar do que tinhamos vivido lá e comparar.

Já na fronteira entre os dois países as diferenças são gritantes. Indo para lá os guardas foram super gentis e simpáticos (apesar do susto no post anterior): eles sorriam, conversavam com as crianças e tudo parecia  muito tranquilo. Na volta pegamos um tiozinho mau humorado, cara fechada, que sequer conferiu se tinham mesmo 3 crianças no meu carro. Poderíamos ter entrado no Canadá trazendo qualquer coisa. O tiozinho queria mesmo era voltar ao seu cochilo.

O fato do avião não ter atrasado nem um minuto para ir ou voltar foi outro diferencial. Toda vez que o Sergio precisa viajar pela empresa, ele já desanima por causa dos atrasos, especialmente da Air Canada.  Nós fomos para Orlando por uma empresa "pequena" chamada Airtran e apesar dos aviões mais antigos, os comissarios e pilotos foram um show de simpatia. e chegar no horário programado com 3 crianças ansiosas para ver o Mickey fez toda a diferença.

E só por termos ido pegar o avião em Detroit, ao invés de pegar em Toronto, nós economizamos mais de mil dolares. Aliás, esta história de economizar nos USA tb é muito interessante. Eu até entendo que os impostos no Canadá sejam mais altos e não me incomodo de paga-los. Mas quando vejo produtos produzidos no Canadá que são vendidos por menor preço no nosso vizinho do sul, eu fico revoltada. Dá vontade de boicotar os produtos canadenses (é a ideia do meu marido, rs)!!! Sem contar que não consigo entender esta história de todos os produtos que são vendidos nos dois paises terem um valor mais alto aqui, sem considerar os impostos.

Tudo bem que houve um tempo em que haviam as diferenças de cambio, mas hj, não vejo sentido nisso. Nós compramos um trenzinho da Lego para o Eduardo por um preço 15% mais barato do que o preço de Toronto antes dos impostos, sem contar que lá o imposto foi de 6% e aqui seria de 13%.

Outro ponto positivo para os USA foi a educação. Muita gente reclama do americano, diz que são arrogantes e bla bla bla, mas eu nunca tive problemas com eles. Do consulado americano no Canadá, passando pela imigração até o final da nossa viagem, os americanos deram um show de simpatia.

Aqui em Toronto, na parada do papai noel, todo ano eu tenho que carregar minhas crianças no colo para eles poderem assistir alguma coisa. O povo chega cedo, é verdade, mas não dá um espacinho pra ninguem e as crianças atrasadas que se danem: mesmo o desfile tendo sido preparado para elas.

No Magic Kingdom (um dos parques da disney) eles tb têm um desfile com carros iluminados e as princesas e outros personagens de filmes. Nós chegamos para o desfile um pouco antes de começar e a aglomeração já estava enorme. Entramos em um cantinho e, já acostumados com o esquema de Toronto, começamos preparar os braços para carregar as crianças.

Primeiro um senhor da cidade de Bufalo olhou para trás e viu o Edu e a Luisa no chão. Ele já começou mobilizar o pessoal que estava na frente dele e todo mundo já ficou super preocupado de onde eles ficariam para assistir ao desfile. De repente do outro lado apareceu uma moça perguntando se eu me incomodava da Helena ficar na frente dela e quando eu vi a Helena já estava lá na frente também. E todo mundo ia se ajeitando e colocando todas as crianças que iam aparecendo para a frente, afinal, esses desfiles são feitos para elas... ou não?

E foi um festival de gentilezas a viagem inteira: não só na Disney, mas tb no aeroporto, no supermercado fora da Disney, no avião... um show.

E para me deixar chocada de vez, nós fomos em um supermercado em Detroit e na saída vimos um cavalinho que funciona com moeda. As crianças correram até ele e quando eu já estava dizendo que não, eu vi: o preço era 1 centavo, isso mesmo: 1 centavo de dolar. E o mais interessante: as pessoas que saiam do supermercado iam colocando ao lado do cavalinho as moedinhas de 1 centavo que recebiam de troco, assim minhas crianças puderam brincar no cavalinho usando as moedinhas que outros consumidores haviam deixado ali do lado. Claro que nós tb deixamos as nossas moedinhas para as proximas crianças.

Me lembrei imediatamente de um parquinho que frequentávamos em Atlanta que tinha varios carrinhos, pazinhas e baldinhos na areia. As crianças chegavam, brincavam e quando iam embora deixavam tudo na areia para a proxima criança.

Não é querendo cuspir no prato que comeu, mas esta cada vez mais dificil ver estas coisas por aqui.