Jul 31, 2013

Pelos, pelos, pelos

IMG_2212Quando há pouco mais de um ano, nós decidimos ter um cachorro, eu imaginava o trabalho que eu estava trazendo para casa e tb sabia que eu seria a responsável por dar conta desse trabalho praticamente sozinha. Mas acho que a minha imaginação nao estava assim tão fértil na época: o trabalho é muito maior do que eu poderia sonhar.

O Blue é uma graça de cachorro: super dócil, extremamente carinhoso e com uma paciência de dar inveja. As crianças já acordam de manhã grudadas nele, abraçando, beijando, rolando pelo chão. E quando ele está dormindo ou tirando um cochilinho, parece que atrai ainda mais a atenção: sempre aparece um chato para despertá-lo.

Eu tento manter uma rotina mais ou menos constante para ele, como hora de acordar, comer, ir fazer um xixizinho lá fora. Ele já esta acostumado a fazer xixi assim que acorda, depois entramos, eu dou comida e o levo para fazer cocô. Quando as crianças estão na escola, ele sabe que vai passear assim que eu voltar da escola e já fica me esperando com a coleira na boca. Agora nas férias nossos horários estao um pouco diferentes, mas ele sabe que vai sempre ter um momento para passeio e/ou brincadeira no jardim. e bricnar no jardim significa ter alguem lá fora com ele para brincar. Se ele se sente sozinho, ele tenta chamar a minha atençao comendo as minhas flores, mastigando os brinquedos das crianças ou correndo  com as lanterninhas de jardim na boca: ele sabe que em poucos minutos alguem vai aparecer para correr atrás dele.

Tudo isso dá trabalho, mas é divertido e eu já me acostumei com essa rotininha. se eu me esqueço de leva-lo para o "banheiro" ele dá um jeito de me avisar e os acidentes são raros.

O meu grande problema no momento está sendo os pelos. Ele está trocando a pelagem. É a primeira vez que acontece desde que ele veio para nossa casa e eu já estou de cabelo em pé 9e cheio de pelos dele). Eu tenho passado aspirador de pó na casa pelo menos 2 duas vezes por dia: uma de manhã e outra no final da tarde. E de vez em quando me pego dando uma varrida no chão ou catando tufos de pelo que encontro em alguns cantinhos. Se antes eu o escovava 1 vez por semana, agora estou tendo que fazer praticamente todo dia. e a quantidade de pelos é inacreditável!

Como ele fica entre a sala de estar e a cozinha o dia inteiro, eu estou muito mais atenta a limpar os moveis também. na cozinha principalmente, eu passo pano o tempo todo na mesa e nos balções e fogão. fico sempre olhando bem para a comida para não deixar "cabelos voadores" entrarem nas panelas ou pousarem nos pratos e tb limpo com mais frequencia os armários, gavetas, geladeira...

No final, alem do trabalho de cuidar do cachorro, colocar água fresca o dia inteiro, dar comida nos horarios, levar para fazer xixi/cocô lá fora, andar com ele ou ficar brincando no fundo do quintal (porque ele não gosta de ficar sozinho), ainda estou tendo muito mais trabalho com a casa.

E é claro que esta fase de troca de pelos tinha que coincidir com este momento mágico em que as crianças estao de férias e passamos 24 horas por dia juntinhos/grudadinhos quase se matando!

Jul 29, 2013

As pessoas que passam e não passam nunca!

O médico que fez o parto dos meus filhos é uma daquelas pessoas que entram na nossa vida para não sair nunca mais!!! As vezes é até meio estranho para algumas pessoas, o carinho que eu e o Sergio temos por ele, mas ele realmente merece!

Nós nos conhecemos de um jeito um tanto diferente. Quando eu estava terminando a faculdade e já namorava com o Sergio por quase 2 anos, resolvemos que estava na hora de pensar em nosso casamento. Eu não queria voltar para a casa dos meus pais, já estava com quase 30 e não tínhamos mais porque ficar enrolando.

A primeira coisa que eu fiz em direção ao casamento foram exames pré-nupciais! Que nada... eu fui fazer um teste porque não tinha certeza se já tinha tido rubeola na vida. Não tinha e tive que tomar a vacina.

O grande problema é que a ginecologista que me atendia no Hospital Universitário da USP (HU) era uma besta! Grossa, insensivel e atendia varias mulheres ao mesmo tempo (Sim, cada uma ia falando o problema que tinha e ela já fazia uma espécie de triagem, mandando algumas embora com uma receita na mão sem sequer olhar para a cara da paciente).

No dia em que fui levar o resultado dos exames de sangue e pegar a requisição para as vacinas, estava lá esperando a infeliz me chamar e comecei conversar com duas gestantes que tb estavam esperando (seus bebês e o médico). As duas não paravam de falar do Dr. Paulo!

- "Ele é simpático"  "ele é gentil"  "ele é atencioso"  "ele é competente" "ele é bem humorado" "ele é bonitão ótimo médico"

De repente, uma delas foi chamada e eu fiquei prestando atenção! O médico que a chamou foi super simpático mesmo, com ela e com outras pacientes que ele reconheceu e quando eu saí da minha consulta rapidinha-cheia-de-testemunhas, a outra gestante ainda estava esperando a sua vez!

Anotei o nome dele e prometi a mim mesma, que na minha próxima consulta com ginecologista eu tentaria passar com ele.

No ano seguinte, quando fui fazer meus exames de rotina, marquei uma consulta com ele e me apaixonei gostei muito! Como fui fazer mestrado na USP, continuei tendo direito ao HU e continuei passando em consulta com ele. Comecei tentar engravidar, achamos que tinhamos algum  problemas, ele pediu  varios exames e nao encontrávamos nada errado. Até que ele pediu um exame, que segundo a enfermeira do próprio HU, era super dolorido.

"Ai meu bem, este exame doi tanto!"

Eu entendo que ela estava preocupada comigo, mas foi meio assustador esperar a próxima menstruação para fazer o tal exame. O tempo foi passando e a menstruação nao veio, ao contrário, veio umas sensações diferentes, um teste de gravides, depois mais 5 testes para confirmar e eu não precisei fazer o exame!

Voltamos super contentes para o inicio do  pré-natal e descobrimos que o Paulo poderia ser o meu obstetra, mas não poderia garantir que estaria de plantão no dia do meu parto.

Eu e o Sergio ficamos mudos! Como assim? No dia mais importante de todos, poderia aparecer um fulano qualquer para fazer o parto? Fomos para casa super decepcionados e decidimos fazer o pré-natal com o Paulo em seu consultório particular.

Voltamos ao HU para outra consulta decididos a pegar o telefone e endereço do consultório dele, mas a tarefa não foi muito fácil: ele simplesmente se recusava a nos aceitar em seu consultório. Para ele, seria muito anti-ético tirar uma paciente do serviço público e passa-la para o consultório particular. A discussão foi demorada, ele nao se convencia e nós nao aceitávamos, até que demos a cartada final:

"Ok, vc não precisa dar o seu endereço! Não vamos mais fazer o pre-natal com vc! Vamos procurar na internet o endereço e telefone do DR. Paulo M.  e marcar uma consulta!

Não tinha jeito: nós queríamos ele no parto das crianças e ele sabia que não íamos desistir.

O Paulo foi um médico-irmão (temos quase a mesma idade). As nossas consultas (desde o tempo de HU, diga-se de passagem) eram longas e divertidas. Ficávamos mais de 2 horas batendo papo, contando histórias das nossas vidas, discutindo política, o Brasil, a USP, o mundo. A secretária já marcava para mim o último horário porque sabia que o negócio ia longe e provavelmente não ficava muito feliz quando tinha que esperar a consulta acabar.

Os partos também eram recheados de bate-papos. Enquanto eu rolava de dor e mordia a lingua para nao mandar aquele pessoal calar a boca, ele conversava animadamente com o Sergio sobre previdência privada, ou comentava com o anestesita e a auxiliar, a aparência daquela colega de turma que era tão bonitinha no passado!

Apesar de acreditar piamente que a cesária era a melhor escolha, o Paulo sempre respeitou a minha vontade de ter filhos por via vaginal. Eu aceitava a anestesia, aceitava a episiotomia, mas queria muito a experiência do parto "normal" e ele fez o possível e o impossível para realizar a minha vontade. No parto do Eduardo, ele chegou as 8 da manhã na maternidade e lá ficou até as 4:35 da tarde, quando o Eduardo finalmente decidiu nascer.

No parto da Helena eu fui fazer um exame na maternidade as 10 da noite e as 11, lá estava ele me mandando embora já que estava tudo bem! Estava tão bem que comecei sentir contrações quando tentei me levantar e ele ficou lá comigo até  à 1:56 da manhã a Helena veio ao mundo no primeiro "push" (empurrão), como dizem aqui.

E no parto da Luisa, ele tb chegou cedinho na maternidade para induzirmos o parto e ficou até as 4:02 da tarde, quando ela nasceu, tb com um único push (eu já estava super experiente nesse negócio)!

Lembrando que foram 3 gestações em 5 anos e meio, nós tinhamos overdose um do outro, porque além das consultas de pré-natal, pós natal, ainda tinhamos as consultas de rotina entre as gestações, rs. Sem contar, que ele nos indicou o pediatra dos filhos dele, que nos indicou um dermatologista, que nos indicou oftalmologista, clinico geral, otorrino e todo mundo conhecia todo mundo e conhecia a gente: os malucos que tinham filhos um atrás dos outros e estavam se preparando para largar tudo e ir embora para o Canadá.

E o Sergio também ficou super próximo a ele porque participou de todas as consultas, todos os bate papos, toda essa história!

Minha última consulta com o Paulo, foi mais ou menos no final de fevereiro de 2009. Nós já estávamos com passagens compradas para nossa partida e foi uma despedida muito difícil, devo dizer. De repente aquela pessoa que sabia tanto de mim, não ia mais estar ali, ao alcance da minha mão, quando eu precisasse de alguma coisa.

Eu sei que é difícil entender este relacionamento meio pessoal demais com um médico: talvez nem ele mesmo consiga entender a falta que ele fez e faz na nossa vida, mas dizer adeus foi muito dificil.

Há algumas semanas, minha cunhada passou em consulta com ele (por uma daquelas coincidencias da vida) e ele perguntou de nós. Mandei um e-mail para ele contando um pouquinho da gente e ele, claro, muito gentil como sempre, me mandou noticias dele e da familia. Pediu também uma foto das crianças e estou na maior dúvida de qual foto mandar. Quero mostrar como estão lindas as crianças que ele colocou no mundo: afinal, ele foi a primeira pessoa que segurou os maiores amores da minha vida. Cada detalhe destes momentos, cada brincadeira, cada emoção, estarão guardados para sempre na minha memória. E a generosidade e profissionalismo desse médico vão fazer sempre parte da história da vida dos meus filhos. 

Jul 28, 2013

Algonquim Park

 

EIMG_2550 finalmente eu fui conhecer o Algonquim Park! Desde que chegamos ao Canadá, eu ouço canadenses e imigrantes falando sobre o Algonquim. Este Park Provincial de Ontário fica a mais ou menos 300 Km de Toronto e é deslumbrante. Eu fiquei encantada. Nós fomos para Pog Lake campground e gostamos bastante.

Definitivamente, não é um lugar para se ir na praia: além da água gelada, as praias que visitamos nao eram lá essas coisas. Ainda assim, minhas crianças se divertiram muito entrando na água e brincando na areia. Mas o forte mesmo são as paisagens lindas, com lagos de água escura, muitas trilhas interessantes e atividades variadas para quem gosta de contato com a natureza.

Infelizmente, com criança pequena, não dá pra se fazer de tudo. Nós fomos em algumas trilhas menores (2 km) que é uma distância que minhas crianças percorrem com tranquilidade. A beaver pond trail foi muito divertida e eu indico foIMG_2738rtemente, especialmente se vc tem crianças que adoram natureza e têm espírito da Dora the explorer! A Luísa e a Helena foram andando pela trilha e descobrindo short cuts (muito mais longos, rs) ou procurando surpresas encondidas no caminho. O Eduardo se divertiu bastente acompanhando o percurso e procurando a direção certa. E todos nós ficamos encantados com o lago gigantesco que a beaver fez.

O Sergio até comentou, que para fazer uma barragem como aquela, os seres humanos precisariam de um projeto, contratar uma empresa de engenharia, fazer uma avaliação do impacto ambiental, etc, etc, etc. A beaver, sozinha, construiu uma barragem que formou um lago enorme e impressionante.

IMG_2571Em um dos nossos passeios, os paulistanos viram o trânsito parado na estrada e já imaginaram que se tratava de um acidente. Que nada!!! No Canadá, era apenas um moose atravessando a pista meio indeciso se ia ou ficava. Foi, atravessou e ainda ficou comendo umas filhinhas enquanto os turistas malucos desciam de seus carros para mostra-los para a criançada!

O acampamento em que ficamos era muito bom: o nosso site, apesar da falta de privacidade (nenhum deles tinha), era bem plano, bem próximo aos IMG_2554banheiros e estes eram limpos e organizados. Os chuveros estavam sempre limpinhos e a água estava na temperatuda adequada para todas as pessoas normais. Para o meu gosto, poderia ser mais quentinha, rs. Os funcionários foram todos muito prestativos e simpáticos e o pessoal que estava acampando muito educados.

Apesar da chuva do segundo dia, da temperatura relativamente fria à noite, das aguas geladas dos lagos, do colchão de ar que esvaziou e do vizinho que levantava as 6 da manhã e ficava conversando... a viagem foi maravilhosa. Nada disso foi suficiente para quebrar a graça de um lugar tão lindo! 

E os ursos também não deram a caras!!! Para minha alegria!

 

 

 

 

Jul 25, 2013

Na hora da raiva...

IMG_0257 Esta foi a Helena expressando toda sua raiva porque eu tirei o 3DS dela por 2 dias!!!

Na mistura do inglês com o português ela tentou escrever: xixi cocô!

Bobo é ovo

Alguns amigos vieram fazer sleepover aqui em casa ontem e ficaram assistindo filme até tarde! Claro que na hora de dormir, todo mundo estava com fome e foram fazer uma boquinha!!! No final do lanchinho da "meia noite", a Luisa me pediu queijo.

Quando viram o queijo, os 5 vieram correndo ao meu redor e eu fui cortando os pedaços de queijo e distribuindo. Quando todo mundo já estava com seu queijo na mão-boca, eu olho pra baixo e vejo o Blue: sentadinho me dando a pata!!

Da pra resistir???? Tive que dar um pedacinho para ele também!!!

 

Jul 23, 2013

Teste de responsabilidade

O meu vizinho do lado foi passar a semana em uma cottage e pediu que o Eduardo cuide do jardim, da correspondencia e do lixo dele. Primeiro ele veio conversar comigo a respeito, se eu concordava e queria paga-lo pelo trabalho. Apesar de ter achado a idéia ótima, eu preferi que ele nao pagasse nada.

Ele falou com o Eduardo e o Edu aceitou na hora fazer este favor a ele. Toda tarde ele entra no quintal do vizinho e vai aguando todas as plantas com o regador (como o vizinho costuma fazer). Eu o acompanhei no primeiro dia e claro, fico sempre por perto para ajuda-lo caso precise. O que não dá é o vizinho voltar e encontrar as plantas portas por falta d'água, rs.

Á tarde, ele vai dar uma olhada na caixa dos correios pra ver se chegou alguma coisa e vai colocar o lixo na sexta de manhã. Há quem ache que é muito trabalho ou muito difícil para um menino de 9 anos. De certa forma até é, por isso eu fico por perto. Mas acho que é um grande exercício de responsabilidade para ele. Sabe como é, né... quando é a mãe, nós sempre podemos dar uma enrolada, fazer de qualquer jeito ou fingir que esqueceu. Mas para o vizinho...

 

Dentinhos



A Helena disse que todo mundo na escola fica perguntando porque o dentinho dela está andando para o lado e ela responde:


- Ele quer se despedir dos outros dentes antes de cair!


Essa é a minha Nanny Mcphee!!!


IMG_0659




Jul 22, 2013

Dirndls

IMG_2506 IMG_2508


Segundo minha consultora de assuntos da Alemanha, essa roupa típica da Bavaria se chama Dirndls (não pode falar vestido, por favor!!!). Ela mandou esses dois modelitos lindos para as meninas usarem com blusinha branca por baixo!


Não preciso dizer que as alemazinhas falsificadas aqui de casa amaram e querem coloca-los toda hora.


Meu marido é neto de alemães por parte de mãe e ficou até emocionado quando viu as meninas vestidinhas com seus Dirndls! Confesso que eu achei lindo também e tenho certeza que a sogrita vai amar. Talvez eu até leve as meninas para recebe-la no aeroporto vestidas assim, em setembro!

Jul 21, 2013

Enchente em Toronto

O maior problema que tivemos em Toronto no dia da enchente de algumas semanas atrás foi a água entrando nos basements. Nas semanas após a enchente tinha muitas coisas em frente às casas para serem jogadas no lixo: carpetes, pisos de madeira, sofás, camas, armarios, colchoes, brinquedos, roupas...

Eu olhava aquele monte de coisas e ficava me perguntando porque as pessoas estavam descartando tudo aquilo. Eu entendo que na casa da vizinha, onde a água chegou a 5 pés, o carpete e o sofá foram muito danificados. Mas estava difícil de entender porque as pessoas jogavam tantos brinquedos, por exemplo.

Quando fui na casa de uma amiguinha da Luisa, entregar o convite de aniversário dela, a mãe me contou como foi a enchente naquela rua. A água nao entrava por cima como eu imaginava: a água vinha dos ralos! Era o "esgoto" voltando! Agora imagine o seu basement com 5 pés de água do esgoto!

A mãe dessa meninas disse que jogou caixas e mais caixas de brinquedos, alem de todo o carpete do basement, colchoes, moveis... um prejuizo enorme. É bem verdade que quase todo mundo tem seguro da casa aqui, mas tem coisas que não dá pra comprar de novo, não tem como recuperar!

A enchente foi no dia 8 e no próximo final de semana nós fomos acampar: o Sergio ficou 15 dias sem vir para cá e quando chegou na sexta feira passada, ele sentiu o tamanho do estrago. Só olhando de perto as montanhas de coisas que estavam sendo jogadas no lixo dá pra entender o que foi aquela enchente!

Eu preciso agradecer todo dia pela sorte de morar do outro lado da rua, porque os meus vizinhos da frente sofreram muito e devem ficar bem preocupados quando a previsão do tempo diz que vai chover de novo!

Eu falo demais!!!

Neste sábado, aproveitei a presença do Sergio e saímos para entregar os convites da festa de aniversário da Luisa. Será uma festa pequena, somente para 12 meninas que ela escolheu sozinha! Eu procurei não dar palpite e só acrescentei a irmã de uma das amiguinhas, que ela não queria convidar mas eu achei que deveria. De resto, a lista foi feita inteiramente pela Luísa.

O Sergio me deu a chave do carro e disse que ele ia acompanhar a Luisa na entrega dos convites: eu seria a motorista porque senão não terminaríamos nunca! Ele acha que eu falo demais!

 Mas não teve jeito: estamos de férias, ninguém tem se encontrado muito e ainda tivemos uma enchente horrorosa para comentar! Cada casa em que ele apertava a campainha, ficávamos um tempão colocando a fofoca em dia!

Homem não consegue entender direito esta dinâmica feminina de ir ligando um assunto no outro e não darem tempo uma para a outra de cortar a conversa. E o Sergio ficava fazendo uma coisa que eu acho horrivel: a pessoa que fica cochichando no ouvido da outra um "vamos embora", meio entredentes!

Se na primeira casa o Sergio ficou contente quando a mãe da menina atendeu e ele pôde entregar o convite em mãos, nas casas em que ninguem atendia a porta, ele respirava aliviado, deixava o convite na caixa do correio e vinha todo sorridente pela economia de tempo!

O tema da festinha vai ser a Branca de Neve e ela quis que o Principe estivesse lá também! Vai ter dress up e maquiagem: espero que as meninas gostem.

"Mamãe, eu acho que não vou convidar a "fulana" porque ela só gosta de coisas de menino!"

"Mas vc não acha que de repente ela pode gostar de coisas de menina também?"

"Ok, convida a "fulana" e ela vai se ela quiser."

Jul 20, 2013

Água na piscina

Minha amiga comprou uma piscina nova, grande, toda bonitinha!!! Enquanto as crianças brincavam nós fomos encher a piscina!

Nós duas fomos separadas na maternidade! Quando as duas se juntam nao sai boa coisa e desta vez, não poderia ser diferente.

Abrimos a caixa, "lemos" o manual, mas olhando o esquema percebemos que a piscina deveria ser enchida com água! Ela, minha amiga, jura que já teve uma piscina que se enchia com água e eu achei tão interessante que não pensei duas vezes: enfiei o bico da mangueira na entrada de "água" e começamos encher.

Foi difícil encher a primeira parte (tem 2)! A água faz uma pressão muito forte e as vezes parecia que ia estourar a piscina e quando estava cheio, foi dificil fechar sem perder um monte de água. Comecei encher a segunda parte e o trabalho começou ficar insano! Primeiro porque a segunda parte era dividida em duas partes separadas por furinhos. A água entrava na parte de cima e ia caindo pelos furinhos para a parte de baixo. E o problema maior foi que conforme o volume da água foi aumentando, a lateral da piscina caia por causa do peso. E as duas teimosas persistentes colocando água, conversado e comendo hamburger!!!

Lá pelas tantas nós pegamos o manual com seriedade e fomos ler direitinho as instruçoes!!! Óbvio que não era para encher com água!!! As crianças já estavam de saco cheio de esperar e agora a gente ainda tinha que tirar a água toda para poder encher a piscina com ar! Lembra da parte com furinhos???? Pois então, se foi difícil colocar água nela, imaginem tirar a água!!! Foi um trabalho insano apertando daqui, empurrando dalí... uma coisa!!!

Se nós bebêssemos, até daria para dar uma desculpa, mas estávamos meio bêbadas só de tomar água, rs.

Finalmente, decidimos desistir de esvaziar totalmente  e resolvemos colocar ar e deixar o resto da água que nao queria sair. Acabamos de encher a piscina e o céu escureceu, uma ventania maluca começou e a promessa de um temporal fez a gente correr para dentro de casa e as crianças não terem tido o prazer de entrar na piscina nova!

Modesto

Luisa: Mamãe, a sofia disse que eu sou feia.

 Eduardo: Luisa, vc não pode ser feia: vc tem o cabelo igual o meu, o seu olho é parecido com o meu, sua pele é branquinha como a minha e eu sou lindo!

Jul 19, 2013

As flores de plástico, não morrem...

... mas também não renascem na primavera e nem florescem 3 anos depois.

IMG_2468Quando nos mudamos para nossa casa aqui no Canadá, eu quis mexer no jardim inteiro. Acho que estava traumatizada porque nunca tinha tido um jardim para chamar de meu, com espaço e liberdade para fazer o que quisesse. No jardim da minha mãe eu não podia mexer, na minha casa no Brasil eu tinha 1  m² de terra e na casa que alugamos aqui no Canadá, o dono morria de ciumes do jardim.

Logo no primeiro mês eu sai cortando galhos, arrancando plantas e enchendo a terra de novas sementes. Pra ser bem realista, o jardim ficou um desastre porque quase nada nasceu e muito do que tinha eu acabei matado. Mas no ano seguinte, muitos brotinhos começaram a surgir da terra e eu fiquei com as esperanças renovadas de que teria muitas flores no verao.

Bem, de verdade, eu tive muitas flores, mas elas foram fruto do meu trabalho na primavera, plantando um monte de coisas novamente porque os brotinhos que surgiram, ficaram nas folhinhas e só.  No nosso segundo ano por aqui, muitos brotinhos apareceram de novo, agora com mais força, com galhos mais grossos e com cara de que o verão seria florido, mas não foi :(IMG_2467

Aguei aquelas plantas o verão inteiro, cobri do sol escaldante, olhei e conversei com cada uma delas até a última folhinha cair e só quando o inverno chegou foi que desisti e aceitei que aquelas plantas não dariam flores. Prometi, então que 2013 seria a última chance para todas elas. No próximo outono eu ia cortar tudo e plantar bulbos para todo lado, porque esses sim não têm medo de crescer, rs.

Mas as florzinhas espertinhas, entenderam o recado e estão floridas. Eu não canso de olhar para cada uma delas, coloco água todo dia e quando esta muito quente 2 vezes ao dia. Na hora do sol escaldante, eu cubro as mais sensiveis e fico cercando as crianças para que não cheguem perto dos meus bibelôs.

Agora eu sei, que sempre vale a pena investir naquela plantinha emperrada, que parece que nunca vai pra frente. Assim como na imigração, elas precisam de um tempo de adaptação ao novo "país" e só precisam de um pouco de cuidado e compreenção.

Jul 18, 2013

sogra assanhada

Luisa sentada na escada!! Eu sentei ao lado dela e perguntei:
- O que vc esta fazendo?
- Estou no bus indo para o churrasco.
- E o seu carro?
- Não tenho carro!
- E o seu marido?
- Vc está sentada no colo dele!

Jul 17, 2013

Ajuda de criança é pouco...

 

... quem não aceita é louco!

Minha mãe sempre disse essa frase e eu concordo com ela. Muitas vezes as crianças vêm me ajudar e aumentam o meu trabalho: derrubam água, ficam brincando, largam coisas pelo caminho... mas ainda assim, vale a pena ter esta ajuda torta e tentar ensina-los a fazer direito. Isso sem contar que eles precisam aprender também a ser solidários, responsáveis e dar valor ao que as outras pessoas fazem por eles.

Pra ser honesta, as crianças têm poucas obrigações diárias para fazer em casa: eles arrumam as próprias camas de manha e guardam todas as suas roupas nos armários. Tambem são responsáveis pela organização dos proprios quartos; trabalho esse que vai depender da organização de cada um.

Mas muitas vezes eles me ajudam com muitas outras coisas quase como um favor.

- Eles poem e tiram a mesa na hora das refeiçoes.

- Guardam a louça limpa da lava-louças.

- Levam a roupa suja para a lavanderia.

- Tiram o lixo dos banheiros e da cozinha e colocam cada tipo de lixo na respectiva lixeira.

- Colocam o lixo na calçada no dia de coleta e recolhem as lixeiras depois que o lixeiro passou (as minhas e as dos vizinhos próximos).

- Passam aspirador de pó nos tapetes.

- Dão comida e água para o Blue e recolhem as fezes dele.

Parece pouco e talvez seja mesmo, mas estamos sempre ensinando novas coisas para eles fazerem, aprenderem como funcionam e principalmente enxergarem que tem alguem fazendo tudo aquilo para a casa funcionar.

Hj eu vi a figura aqui embaixo no Facebook e achei muito legal. Há os pais que achem demais para suas criancinhas fazerem essas coisas. eu acho que sem exageros, é muito saudável. Quanto mais independentes as crianças forem, melhor para elas e quanto mais coisas souberem fazer, melhor ainda.

Eu fico super orgulhosa quando peço para eles guardarem as próprias roupas e quando abro as gavetas vejo tudo guardadinho direitinho. As meninas exageram e separam as camisetas por cor!!! Mas o Edu, quando quer, também sabe fazer um bom trabalho.

 

992945_517457288309397_944403190_n

E de vez em quando, quando está tudo muito bagunçado, fazemos o mutirão da bagunça. Todo mundo junto ajudando a organizar a casa. Fazemos campeonato de quem termina primeiro ou marcamos o tempo para estar tudo arrumadinho... fazemos a maior bagunça e vira um divertimento.

O que eu aprendi com essas tarefas infantis é que com meus filhos trabalhar contrariado não funciona: eu me estresso, eles se estressam, todo mundo briga e nada acaba sendo feito. Deixa-los escolher o que querem fazer na maioria das vezes gera resultados melhores, com muito mais brincadeira e alegria.

 

Pinery Pronvicial Park

IMG_2410  Semana passada nós fomos acampar no Pinery Provincial Park. Este park fica mais ou menos perto de Sarnia, onde o Sergio trabalha. Passamos por Sarnia, conhecemos o escritório do Sergio, conversamos com alguns amigos dele e fomos para o camping!

O Park é maravilhoso, muito grande e aparentemente com muitas coisas para fazer. Como estávamos com o Blue acabou sendo um pouco difícil aproveitar algumas coisas que o park oferece como canoagem e praias diferentes. Nós só pudemos ir nas praias permitidas para cachorro, que são as mesmas praias utilizadas pelas pessoas que vão ao parque passar o dia. Não tenho o que reclamar da praia, nem das pessoas, mas ficamos limitados.

O site que eu aluguei ficava no Riverside camping. Esta área fica bastante longe da praia, algo comoIMG_2462 10 minutos. Não teve grandes problemas porque nós adoramos dirigir, especialmente no meio do parque, mas o Blue não ficava muito feliz e as crianças ficavam na maior ansiedade.

O nosso site era muito bom: bem pertinho dos banheiros, chuveiro e lavanderia. Os banheiros estavam incrivelmente limpos eIMG_2375 a água dos chuveiros maravilhosamente quente!!!

O único senão, além da distância à praia, era a areia no site todo. Foi impossível manter a barraca minimamente limpa. Para uma próxima vez, uma vassoura estará no topo da lista!!! A privacidade no nosso site (721) não era das melhores, mas não posso reclamar porque ficando ao lado do banheiro, não tem outro jeito.

O parque tem cerca de 10 trilhas relativamente curtas (1-3km), excelente para fazer com as crianças e com o cachorro. Além de varias atividades com monitores para crianças.

No ano que vem, já estamos nos planejando para voltar lá: só que desta vez, vou madrugar na internet para pegar um site nas Dunas!!! Já estou sonhando com isso!

E a professora da Luisa saiu da escola

E a professora da Luisa saiu da escola!!!

Eu tive tantos problemas com ela nestes dois anos que nem conseguía mais olhar na cara dela. O bom é que a recíproca era verdadeira. Mas ela não se contentou em arrumar problemas só comigo: varios pais estavam insatisfeitos e a classe estava simplesmente sem controle. No dia da formatura da Luisa, a diretora informou que ela está saindo e que "sentiremos falta dela"!!! Mentira: tenho certeza que a diretora também estava de saco cheio de reclamações e tratou de encontrar um jeito de se livrar dela!

Em setembro, as crianças do JK serão abençoadas com uma das melhores professoras que conhecia aqui no Canadá: a mais paciente, educada, simpática, preparada, carinhosa, etc etc etc... sorte deles!

Bolo de chocolate

Ja fazia muito tempo que eu estava procurando uma receita de bolo de chocolate que agradasse meu paladar. Fiz vários e sempre acabava voltando para os bolos de caixinha, que sempre dão certo. Há algumas semanas atrás, a mãe de uma amiga me deu uma receita  nova e foi um sucesso!!! Eu fiz bolo e cupcakes com a massa e não sobrou nada!!!

 

Bolo de chocolate

- 4 gemas

- 1 tablete de manteiga (~125g)

- 2 xicaras de açúcar

- 2 xicaras de farinha de trigo

- 1 xicara de nescau ou achocolatado de sua preferência

- 3 colheres de café de fermento em pó

- 1 xicara não muito cheia de leite

- 4 claras

 

Bater as claras em neve e reservar.

Bater na batedeira as gemas, o açucar e e manteiga. Acrescentar a farinha, o achocolatado, o fermento e o leite. Bater bem estes ingredientes e finalmente incorporar as claras em neve, misturando gentilmente com uma colher de pau, sem bater.

Assar a 350°C

Rechear e cobrir com brigadeiro ou cobertura de preferência. Antes de rechear e cobrir pode molhar o bolo com leite. Eu não molhei porque ele estava tao fofinho que nao achei necessário. Só faltou uma foto!

 

Hoje eu fiz um brigadeiro normal e acrescentei no final uma lata de creme de leite. Ficou um pouco mole, mas ficou divino e as crianças amaram.

Organização dos brinquedos

Apesar da minha casa estar sempre meio desorganizadas, com brinquedos espalhados para todo lado e ninguém ouvindo meus apelos para colocar tudo no lugar, eu me incomodo muito com bagunça. Por outro lado, acho injusto manter os brinquedos escondidos em caixas em cima dos armários para manter a casa arrumada.

Uma coisa que já reparei na casa dos meus amigos é que os brinquedos normalmente ficam no basement ou no quarto das crianças e assim, a sala de estar está sempre arrumadinha. Mas eu não abro mão de ter os livros das crianças nas estantes da sala e eu bem sei que meus filhos gostam de estar perto de mim. Se eu colocar tudo no basement, eles vão ficar colados na televisão o dia inteiro porque eu passo a maior parte do dia na cozinha e eles perto de mim na sala.

Eu tb já pensei em colocar a televisão no basement, mas gosto de controlar o que eles assistem, então a sala de estar é o lugar perfeito para uma televisão.

O fato é que já tentei de tudo para manter a casa arrumadinha, mas é quase impossível já que não quero mudar certas coisas no meu método de educar as crianças. Complicado!

Se a sala está eternamente comprometida com controles de video game espalhados, caixinhas de DVD vazias e livros caídos para todo lado, pelo menos o basement estou começando a manter organizado. Contrariando minha crença de que as crianças tem que ter liberdade dentro de casa, eu resolvi criar um quartinho de brinquedos e tranca-lo.  As crianças podem ir no basement a hora que quiserem e brincar com o que quiserem, mas têm que me avisar com o que vao brincar.

Eu abro o quartinho, pego o que eles querem e no final da brincadeira quero tudo dentro da caixa novamente, como estava no início. Querem mudar de brincadeira? Claro que pode!!! Enquanto eu pego a nova caixa de brinquedo, eles juntam os brinquedos com os quais estavam brincando e pronto. Ainda que aconteça algum acidente e eles não juntem os brinquedos no final da brincadeira, o meu trabalho não vai ser tão grande para organizar e separar tudo o que eles espalharam.

Então hj, as meninas foram com uma amiguinha para o basement e eu fiquei com preguiça de ir até lá pegar o que elas queriam. E a magica aconteceu: elas inventaram uma nova brincadeira e estao se divertindo muito com alguns poucos brinquedos que eu deixo no basement disponivel para brincar.

O que eu percebo é que as crianças não conseguem se organizar quando têm muitas opções à disposição. Sem perceber eles vão pegando todos os brinquedos disponíveis, deixando para trás o que já pegaram anteriormente e no final, espalharam tudo e nao usaram,  de verdade, nada.

Com esse quartinho fechado eu queria manter meu basement minimamente transitável a qualquer momento, mas tenho a impressão de que vou conseguir algo muito melhor que isso: ajudar as crianças a explorarem cada brinquedo com o que eles têm para oferecer. Acho que vai ser muito produtivo para eles.

Helena entrou em campo

Quando as meninas começaram com essa história de jogar soccer, eu achei super legal e dei o maior apoio, mas nos primeiros jogos eu me arrependi um pouco. Elas nunca queriam ir nos jogos e muitas vezes ficavam meio apáticas em campo.

A luísa eu acho que por ser muito nova, ainda não entendeu direito o que está acontecendo e não fica interessada em ficar correndo atrás de uma bola, mas a Helena eu nao conseguia entender. Em casa ela se mostra interessada em jogar com o Edu, presta atenção quando os meninos estão jogando...

Ontem, tivemos mais um jogo e entao... algo aconteceu!!! A Helena simplesmente entrou em campo e jogou. Ela começou como goleira e ficou o primeiro tempo interio no gol e não passou nada! Uma das adversárias até chorou em um lance porque o gol era certo mas a Helena pegou. No segundo tempo ela foi para a linha e apesar do tipo físico mignon, virou um zagueirão! dava uns chutes, umas travadas de bola que eu e a coach ficamos impressionadas.

Acabaram ganhando de 6 a 3 porque a Luisa ficou no gol no segundo tempo e ainda não entrou no campo para jogar. Eu fiquei ao lado dela, dando uns toques do que ela tinha que fazer, mas foi difícil: ela não estava a fim!!!

Estou super orgulhosa em poder dizer que minha filha fez bonito em campo e ela ficou toda feliz!!!

Aprendendo português

Acho que só quando cheguei ao Canadá, eu consegui entender como é dificil aprender português. E manter as crianças falando português sem sotaque é uma luta diária e sem tregua.

 

Eduardo:

- Mamãe, as vezes eu "ouvo" um barulho.

- Não é ouvo, é ouço!

- Ah, então, eu fico "ouçando" esse barulho...

 

Luísa:

- Mamãe, não faz cócegas no meu "sovasco"!

 

Eu acho tão engraçacinho ela falando sovasco que nem tenho vontade de corrigir!!!

 

E de vez em quando eu preciso fazer chamada oral para eles relembrarem as cores, os números, as frutas, os animais... só os dias da semana que eu praticamente desisti. Está dificil ensinar a lógica de que Monday é a Segunda-feira.

Jul 16, 2013

Na cena do crime

Hoje meu bairro amanheceu na primeira página dos jornais da cidade: houve um triplo assassinato ontem à noite aqui na vizinhança. Aparentemente o assassino, de 22 anos, era filho da vítimas e neto de uma terceira vítima.

Felizmente ele foi preso logo em seguida, mas ainda assim, o bairro está em choque. O que aconteceu ninguem sabe ao certo, mas de qualquer forma é tudo muito triste. Não sei se os conhecia, não me lembro pelos nomes publicados nos jornais, mas certamente já nos encontramos por aí. Muito triste!

Jul 15, 2013

Aniversário da Luisa

IMG_1950O aniversário da Luisa é em menos de um mês e eu ainda não comecei a organiza-lo. Ela quer uma festa de princesas e entao resolvi fazer no mesmo buffet em que fiz o niver da Helena há dois anos. A grande dificuldade está na lista de convidados!!!

A turminha da Luisa na escola é super pequena e eu já sei de antemão que algumas amiguinhas estão indo viajar. Dos 12 convidados iniciais, talvez umas 3 com certeza não venham e ainda tenho que confirmar as outras 9.

Esse é o problema de fazer aniversário nas fériaa: no Brasil ou no Canada, é sempre a mesma coisa: todo mundo viaja e esvazia as festas, rs. O jeito vai ser contratar algumas meninas para encher o buffet, rs

Blue no camping

Fomos acampar com o Blue no Pinery Pronvicial Park!!!

Foram vários prós e contras que eu vou tentar contar aqui, rs...

Os prós foram quase todos a favor do Blue: ele amou!!! No início ele não queria entrar na água de jeito nenhum, aliás, não queria sequer pisar na areia, mas depois de algumas tentativas minhas de puxa-lo, ele foi e adorou.

Ficou horas indo buscar gravetos que eu jogava na água. Se divertiu e se cansou muito!!!

O problema é que o passeio acabou sendo um passeio para cachorro. Claro que as crianças se divertiram muito, mas tudo era voltado para ele. Ficamos restritos á praia onde é permitido levar cachorro e não pudemos fazer nenhum outro tipo de esporte por lá. Fizemos algumas trilhas e só. Também não pudemos ir em nenhum restaurante ou lugares fechados nas cidades vizinhas.

Sem contar que o Blue detesta andar de carro e os passeios de carro tinham que ser curtos, só como transporte mesmo e não passeios admirando as paisagens.

Outra coisa chata é que ele não saia de perto de mim: não largava do meu pé um minuto e mesmo quando eu ia ao banheiro, ficava ouvindo o latido dele até eu voltar para o nosso site. Tudo bem que esse é um problema do meu cachorro, mas foi dificil.

O que nossa família acertou foi que o Blue não nos acompanha mais aos acampamentos. Podemos leva-los aos parques para passar o dia, mas ficar varios dias juntos, não foi legal. Eu praticamente não aproveitei nada da praia com as crianças e menos ainda com o sergio.

Mas para o Blue... foi o máximo!!!

Fitro solar de canola

Eu ainda não aprendi que com homem as coisas precisam ser muito bem explicadinhas, nos seus mínimos detalhes!!! Sergio preparando as crianças para irem à praia:

- Lena, onde está o filtro solar das crianças?

Está em cima da mesa! É um spray novo que eu comprei!

O Sergio pega o frasco solar em spray e começa passar no Eduardo. Eu estava fazendo outra coisa e ele reclamando:

- Lena, esse negócio é muito oleoso!


- Lena, esse negócio tem um cheiro horrível!

- Lena, O Edu está parecendo aqueles caras que fazem fisioculturismo!...

Até que a Helena vai dar uma olhada, acha estranho e pede para o pai "LER A EMBALAGEM":

"Original Canola Oil Cooking Spray" (óleo de canola em spray para untar forma).


É bem verdade que os dois estavam em cima da mesa, no camping, mas será que as embalagens eram tão parecidas assim?

Jul 11, 2013

Basement

Uma das coisas que eu adoro no Canadá são os basements. Este espaço a mais que temos nas nossas casas aqui, fazem uma diferença enorme na área útil da casa e por ficar embaixo da terra, é excelente para esconder aquelas coisas que bagunçam a casa mas que vc não pode jogar fora, rs.

Sem contar que eles são super fresquinhos: quando o calor está pegando e a família não tem ar condicionado, o basement é o lugar onde ficar. É bem verdade que ele é mais frio no inverno, mas no verão, quebra um galho enorme para espantar o calor.

O problema é que por estar abaixo do nivel da rua, é muito facil encher de água quando chove. Infiltrações de água pelas paredes do basement são muito comuns e mesmo o meu basement que foi todo reformado pelo antigo morador, encheu de água na semana passada.

Eu decidi limpar as calhas da casa e não sei como, deixei uma parte da calha obstruída. A água vinha do telhado da casa e quando chegava neste local, caía fora da calha. Conclusão: quase 2 cm de água no basement. Por sorte eu vi logo e apesar de estar entrando muita água, assim que abrimos a tampa da calha e a água pode escoar, o problema foi resolvido. Só tivemos que enxugar tudo depois.

E de certa forma, foi a nossa sorte!!! Porque no dia da enchente, eu teria tido um problemao com a quantidade de chuva que caiu e nós nem estavamos em casa para ver.

Enchente em Toronto

Na última segunda feira, dia 8 de julho, tivemos a maior enchente que Toronto já viu,com mais de 100mm de água em menos de 1 hora. A coisa foi muito feia em alguns bairros e ainda hj, quinta feira, tem muita gente sem energia elétrica.
 
Eu estava no cinema com as crianças e não percebi nada. Na metade do filme, acabou a energia elétrica e fomos mandados embora ( com 2 ingressos gratis cada um, rs). Da porta do cinema eu pude ver uma piscininha rodeando meu carro. Tiramos os sapatos e fomos correndo enfrentar a água porque continuava chovendo e eu fiquei com medo que a água começasse a entrar dentro dele.
 
Não preciso dizer que as crianças amaram esta história de correrem descalças no meio da enxurrada (eles nunca tinham visto nada parecido, rs). Levamos mais de uma hora para percorrer um percurso de 15 minutos, mas chegamos super bem em casa.
 
O ponto positivo foram os motoristas: com raras exceções, todo mundo respeitando a regra de pare (passa um de cada vez). Eu não vi nenhum acidente, batidinha ou outra intercorrencia desse tipo, mas varios carros com pneus furados ou quebrados nas ruas.
 
Chegamos em casa já tarde, sem jantar porque íamos tomar um lanche depois do cinema e sem nenhum restaurante ou delivery aberto. O jantar foi improvisado e nem dava para cozinhar porque o fogão é elétrico. Eu até pensei em fazer alguma coisa na churrasqueira, mas acabei improvisando uns lanches e deu tudo certo.

A luz só voltou aqui em casa as 2 da manha. Nós dormimos todos juntos no quarto das meninas, depois de brincarmos muito com as velas, contar muitas histórias, ler revistinha da Mônica e fazer muita baguna. No dia seguinte foi dificil encontrar alguma loja aberta.

E até hj de manha, alguns bairros aqui na redondeza ainda estavam no escuro. Eu fico imaginando o desespero dessas pessoas, sem poder cozinhar.

Nos últimos dias, minha rua tem estado bem movimentada. Muitos moradores nao estao indo trabalhar e estão limpando a casa. Eu imagino que a chuva tenha causado muitos estragos, especialmente nos basements. Graças a deus meu basement encheu de água uma semana antes e estava ok quando a chuvarada chegou! Foi por pouco e sem grandes prejuizos!

Nova escola de futebol

 Este ano as meninas resolveram jogar futebol e acabaram mudando toda a nossa rotina, para melhor!

O problema foi que a antiga liga, onde o Eduardo fazia soccer era muito grande. Com isso, cada idade tem seu próprio time, ou seja, eu teria 3 dias diferentes de jogos, em locais diferentes, mais as práticas e os jogos do Eduardo eram no mesmo dia que os jogos da Luisa, só que em lugares totalmente diferentes. NÃO DAVA PRA FAZER TUDO ISSO SOZINHA!

Nas minhas procuras pela internet, eu encontrei uma escola em Mississauga, que me pareceu interessante e quando a visitamos, decidimos que as crianças iam jogar ali em 2013. Até agora, a experiência tem sido extremamente positiva.

Primeiramente a escola é bem menor que a escola de Etobicoke, onde o Edu jogava antes. Eles têm em torno de 6 times para cada idade e o Eduardo, que nasceu em 2003, joga junto com as crianças de 2004. Já as meninas que nasceram em 2006 e 2007, tb estão jogando no mesmo time: muito conveniente para mim!

Outra coisa interessante foi o número de canadenses. Não que isso faça diferença na qualidade dos times ou facilite em alguma coisa para eu fazer amigos (talvez ate dificulte), mas é interessante conversar o tempo todo com pessoas que falam inglês fluentemente e sem sotaque, rs. Pra ser honesta, eu tenho poucas oportunidades como esta: passar de 1 a 2 horas falando somente em inglês com nativos, é quase um curso de listening.

Também acho que demos muita sorte com o coach. Não vou dizer que ele sabe tudo de soccer, mas tem uma boa idéia e aparentemente, tem estudado para treinar os meninos. Nos poucos jogos que tivemos até agora, já deu pra ver a evolução de varios meninos e o Eduardo está fazendo um trabalho magnífico. Talvez ele não tenha evoluído ou aprendido muita coisa, mas ele esta se sentindo confiante em campo.

Antes, ele ficava mais preocupado em encontrar um lider para passar a bola e dificilmente pegava a responsabilidade para si. Neste novo time, ele faz assistência, defende e tb arma jogadas maravilhosas, fazendo gol em quase todos os jogos.

Outro ponto positivo, é que o técnico (pai de aluno e voluntário, sempre) não protege o filho, nem dá privilégios a ele. Ao contrário eu diria: deve ser difícil equilibrar essas coisas, mas o nosso técnico parece estar fazendo isso muito bem.

Está sendo uma season muito gostosa e animada. Os jogos são divertidissimos de assistir e estamos sempre esperando o próximo jogo.

As meninas também deram sorte. A técnica delas parece ser muito simpática e gentil, e tem dois pais ajudando durante os jogos. Apesarem de não serem muito animadas na hora de se trocar para ir para o campo, as meninas estão aos poucos aprendendo e se soltando em campo.

E a motorista, sempre se divertindo!

Jul 10, 2013

Brasileiros traumatizados

Fui dar uma volta com o Blue e as crianças, agora no final da tarde. Bem, na verdade, eram quase 9 horas e já estava anoitecendo!!!

Quando passei em frente à escola pública aqui perto, vi aquele estacionamento enorme e vazio... não tive dúvidas: soltei o Blue para correr. Ficamos brincando alí por uma meia hora. Até que anoiteceu e  de repente eu vi 5 rapazes se aproximando pelo gramado do colégio. Peguei o Blue, chamei as crianças e "saí correndo".

Claro que disfarsei, fingi que já estava saindo mesmo e que não tinha percebido a presença deles, mas literalmente fugi, com direito a olhadinhas para trás de vez em quando!!!



 Sabe como é... brasileiro sempre pensa em todas as possibilidades!!!

Jul 8, 2013

Plaquinha um pouco confusa

Se há uma coisa que me irrita, é sentir que alguem tentou me fazer de boba ou me constranger para que eu faça algo que não quero.

Eu abomino as lojas onde o caixa pergunta se vc quer doar dinheiro (ou o troco) para a instituição X. Acho super desagradável vc ter que ficar dizendo "não" toda vez que vai pagar alguma coisa. É a mesma sensação de quando os "crentes" batem na tua porta e perguntam se "vc não tem interesse em falar sobre Jesus", rs rs rs

Mas tem coisa ainda pior que este tipo de constrangimento: são as lojas que tentam te enganar fazendo propaganda de um preço baixo e quando vc chega na boca do caixa, descobre que o preço é outro. Eu sei que muita gente acaba se constrangendo e levando a mercadoria assim mesmo e eu já fiz isso muitas vezes, mas ultimamente, ainda que o preço maior seja justo ou mais barato, eu simplesmente me recuso a levar.

Fui em uma loja da Calvin Klein em um "outlet" aqui perto. Eu não estava procurando nada específico mas encontrei muitas coisas legais por preço bom. Até que me deparei com camisas sociais para o Sergio. A plaquinha em frente as camisas dizia:

2 por $44.00

A única coisa que tinha na "banquinha" eram as camisas. Não tinha como estar errado, mas quando cheguei no caixa com 6 camisas, vi que o preço estava um pouco diferente. Na verdade cada camisa tinha 30% de desconto, o que dava 51 dolares cada uma.

Eu fiquei furiosa e a moça ainda falou na maior cara de pau:

- Aquela plaquinha causa um pouco de confusão mesmo!!!

Como assim "causa confusao"??? Se vc sabe que a placa está causando confusao, não seria hora de mudar a placa?

Mas na verdade eles apostam mesmo é no constrangimento das pessoas e tenho certeza que a maioria acaba comprando. Pois eu não comprei!!! Alem de deixar as 6 camisas em cima do balção ainda fiz a moça confirmar os preços das camisetas que eu estava comprando.

"Só pra ter certeza que eu não me confundi novamente."

Eu disse em tom de ironia e mandei um e-mail mal criado para a empresa. Acho que eles precisam saber o que algumas lojas estão fazendo com o nome deles. No meu caso, o nome já ficou marcado e ainda que eu volte a entrar naquela loja, vou ficar super atenta em relação a qualquer plaquinha de preço.

Passaporte canadense

Desde primeiro de julho de 2013 o passaporte canadense passou a ser o epassaport e vc pode optar pela validade de 10 anos!!! Tudo é muito bonito, mas estou tendo o maior trabalho para finalizar a requisição do primeiro passaporte canadense da família.

Além de duas referencias, eles ainda pedem um garantor: pessoa que te conheça há pelo menos 2 anos e que seja capaz de confirmar certas informações a seu respeito (aparencia, idade aproximada, endereço, profissão, país de origem).

Eu particularmente acho isso muito chato porque nem sempre as pessoas gostam de fazer esse tipo de coisa, mas ao mesmo tempo é super complicado dizer não! Vcs acreditam que eu anunciei no Facebook que precisava de 2 referências com nome completo, endereço e telefone para colocar na nossa solicitação de passaporte e até consegui varios candidatos, mas ainda faltou o tal do garantor, que nao tive coragem de pedir para ninguem ser.

Na terça feira eu vou ao escritorio do passaport canada para me informar direito a esse respeito e ver como vamos fazer.

O grande problema é que vai ter um show do Black Sabbath, em Detroit, no início de agosto e o Sergio queria muito ir assitir, mas não tem como entrar no Canadá sem o passaporte já que na nossa Cerimônia de Cidadania, eles ficaram com os nossos cartões de residencia permanente.

Vamos ver se vai dar tempo!

Jul 7, 2013

Vocês moram aqui????

Nesta época de verao, a gente costuma sair quase toda noite para andar pela vizinhança! Sempre fizemos isso e agora com o Blue cheio de energia para gastar, a gente faz com mais frequência.

Quando já estávamos voltando para casa, o Sergio viu um carro parando na rua, bem perto de nós e o motorista ficou nos olhando, ou talvez olhando a Luisa que estava um pouco atrasada com sua scooter.

Apesar de toda a segurança que temos no Canadá, ou talvez até por causa desta segurança, a gente sempre fica de olho nas criança. Como os outros crimes são menos comuns, parece que sequestro de crianças é mais comum (eu sei que não é, mas a getne fica atento).

O fato é que o Sergio já ficou de olho naquele carro e quando nós viramos a esquina da nossa rua, o mesmo carro entrou na rua e estacionou quase em frente à nossa casa. Só que desta vez o motorista desceu do carro e veio na nossa direção.

Confesso que foi um susto, mas era um senhorzinho com uma aparência tão inofensiva e que vinha sorrindo para falar com a gente, que paramos e fomos ver o que ele queria. E o interesse dele não era na Luísa, rs... ele estava interessado no Blue!!!

O Golden Retriever dele morreu há algumas semanas, aos 8 anos de idade e agora ele e a esposa estão sentindo muito falta do cachorro. Ele quase chorou ao contar que quando chegava do trabalho o cachorro estava na porta, deitadinho, esperando por eles. Eu quase caí no choro também!!!

Ele está procurando um cachorro já maiorzinho porque ele e a esposa trabalham e não querem passar por toda aquela fase de treinamento de puppy. Eu falei da breeder onde compramos o Blue, contei um pouco como a encontramos e que eu achava que talvez ela conhecesse alguem ou algum lugar que pudesse ajuda-los.

Como estávamos em frente a minha casa, eu disse:

- Eu vou pegar o endereço do site e o telefone dela para o senhor.

Quando eu virei e fui entrando em casa, ele ficou muito admirado, olhando para nós com estranheza e perguntou ao Sergio:

- Mas... vcs moram aqui?

Pois é... lembra que nós estávamos caminhando, ele estava nos seguindo e nos parou bem em frente a nossa casa??? Mas ele não sabia que ali era a nossa casa, rs.

Imagine que louco vc parar uma pessoa na rua e ela entrar na primeira casa que vê pela frente pedindo para usar a internet, rs.

PS: Passei o endereço a ele e espero de coração que eles encontrem logo um lindo Golden Retriever para espera-los no final do dia com muito amor para dar!

Jul 6, 2013

Enfim Canadenses

Enfim, canadenses!!!!

Este foi o ultimo grande passo de toda esta trajetoria que começou junto com este blog, em 2006.

A cerimônia foi linda e emocionante!!! Primeiro fizemos uma discussão em pequenos grupos sobre a nossa história no Canada, as expectativas e o que tem acontecido na nossa vida. No nosso grupo tinha também um rapaz do Congo, um da Nigéria e um do Paquistão. As crianças ficaram na Biblioteca da escola lendo e desenhando.

Depois fomos para a cerimônia. Tinham duas "deputadas", um guarda da polícia montada (que vai sempre para São Paulo e percebeu que éramos brasileiros) e mais algumas pessoas, alem do juiz. O juiz foi muitíssimo simpatico e eu chorei o tempo todo.

 Após o juramento em ingles e em francês, os alunos do grade 5 da escolar tocaram You are beautiful com violinos e violoncello. E no final, tocaram Oh Canada. O professor de música estava muito emocionado e disse que nunca tinha tocado o hino canadense em um evento tão importante (nós dois choramos, rs).

No final teve bolo e frutas e somos oficialmmente canadenses!


 
Pra mim, esta conquista é especialmente importante porque eu amo o Canada. É claro que este país tem vários problemas, é claro que temos muitas dificuldades aqui e é natural que a gente acabe valorizando o lado ruim e esquecendo um pouco das coisas boas. Mas eu sinto que renasci quando cheguei aqui no dia 18 de março de 2009.
 
O Canada mudou a minha vida dramaticamente! Foi maravilhoso ter tido a oportunidade de adotar um país para chamar de meu e sentir que eu tb faço parte disso tudo aqui. Criar os meus filhos como canadenses, assimilando esta nova cultura, esses novos princípios, esta nova lingua e sua lógica e ao mesmo tempo trazendo um pouquinho de nós para divider com este país. Tentando manter as coisas boas que cultura brasileira nos proporcionou.

A cada dia, eu me sinto mais próxima da cultura canadense, aprendendo a pensar como eles e me indignando com os absurdos que eu achava quase normais no passado. Eu renasci e no dia 10 de maior de 2013 eu fui registrada e sinto muito orgulho do meu país.

PS: palavras do juiz (tradução livre, rs) - "Nós temos aqui 40 flores de 23 jardins diferentes. Estamos muito felizes de recebe-los aqui para engrandecer o nosso jardim. Sejam bem vindos!"
 


Quem somos nós

Meu nome é Mari, sou casada com o Sergio e temos 3 filhos lindos: Eduardo, Helena e Luísa. Nós moramos em Toronto, no Canadá desde março de 2009. Em 2012, adotamos o Blue, nosso Golden Retriever para completar a família. Em maio de 2013, nós conseguimos a nossa cidadania canadense.

E esta nova fase da nossa vida, vai ser contada por aqui. Espero q vcs se divirtam lendo, como eu me divirto vivendo e escrevendo!!!!

Mantendo o Português das crianças

- Mama, eu posso comer as sereias? - Acho melhor voce comer as cerejas!