Aug 15, 2013

Jeitinho brasileiro

logo Como somos imigrantes brasileiros aqui no Canadá, vira e mexe temos que traduzir alguns documentos. Existem varios tipos de traduções diferentes.

Um exemplo, foi a tradução do comprovante de batismo dos meus filhos para matricula-los na escola católica. Eu mesma traduzi tudo e anexei uma copia da certidão original.

Para ser Professional Engineer aqui em Ontario, o Sergio pode pedir que um outro Professional Engineer assine as traduções dos historicos e diplomas dele.

Mas algumas vezes a tradução tem que ser juramentada e não pode ser feita por qualquer pessoa. Para isso existem alguns órgãos aceitos na Provincia para certificar que aquela tradução é fiel ao documento em outra lingua.

Um desses orgãos que é aceito amplamente por aqui é a ATIO (Association of Translation and Interpreters of Ontario).

Na minha procura por um tradutor certificado, eu acabei descobrindo que existe uma certa "picaretagem" neste mundo das traduções. Eu pedi a indicação de um tradutor em uma comunidade de brasileiros e comecei ligar para os "tradutores". Muitos deles não são certificados, mas foram honestos e já me avisaram.

O que me chamou a atenção foi uma pessoa que se apresenta como tradutora, mas na verdade ela apenas transfere o trabalho para um tradutor ATIO e cobra um valor por fazer esta intermediação. Ela só não pegou o trabalho que eu precisava porque a tradutora que ela contrata é a mesma que eu conheço, e estava de férias.

O fato é que algumas vezes fica difícil separar o joio do trigo e como as pessoas precisam, não conhecem, algumas não falam inglês... ela acabam sendo passadas para trás.

O que eu descobri foi que o site da ATIO tem uma lista dos tradutores certificados em Ontario. Com certeza existem outros orgãos que fazem esta certificação, mas eu ainda não conheço. Na dúvida... eu procuro um dos 5 nomes da lista. Com esses eu sei que meus documentos traduzidos serão aceitos em qualquer lugar, sem o menor problema.

O senhor que traduziu os meus documentos, por incrível que possa parecer, não fala portugues. Segundo ele, nossa lingua é muito difícil e ainda tem as diferenças no sotaque entre os portugueses e os brasileiros! Eu o entendo perfeitamente porque tb posso traduzir qualquer texto do ingles para o portugues, mas falar ingles... é outra história.

 

Aug 14, 2013

Mamãe, como se escolhe o sexo do bebê?

imagesCA98CGO2Quando vc pensa que todas as perguntas já foram respondidas por um tempo, aparece a treinadora de futebol das meninas com uma barrigona recheada com um bebê.

Depois das perguntas de anatomia para saber como aquela coisa "enorme" vai passar pelo terceiro buraquinho que as mulheres têm perto dos buracos do xixi e do cocô, começam as perguntas de genética.

- Mamãe, como que se escolhe o sexo do bebê?

Então começa toda aquela explicação de cromossomos sexuais, X e Y, espermatozóides e óvulos, abortos e esse assunto cresceu vertiginosamente no caminho do jogo de futebol para casa. Foram tantas perguntas, tanta curiosidade, tantas questões interessantíssimas que passaram pela cabecinha dos meus filhos que eu resolvi procurar literatura sobre o assunto e fazer um pequeno cursinho com eles.

Talvez seja cedo para a Luisa, talvez seja informação demais para a Helena, mas o fato é que o assunto da vez aqui em casa é esse processo mágico e misterioso do aparecimento de um bebê dentro da barriga das mulheres.

Aug 12, 2013

O valor do dinheiro

E cimagesomo ensinar para as crianças o valor do dinheiro? Como mostrar para eles que as coisas que jogamos fora, que desperdiçamos, que estragamos por descuido, na verdade é dinheiro rasgado indo pro lixo?

No final de semana recebemos uns amigos aqui em casa e as meninas (minhas e a dos amigos) brincaram no basement. No domingo, eu encontrei as bonecas da Disney (Bela, Rapunzel and Ariel) rabiscadas com canetinha. Tudo bem que a canetinha que eu compro é daquelas laváveis, mas e se não fosse? Teria estragado as bonecas e elas não são super baratas!

Eu fiquei furiosa nem tanto pelos rabiscos nas bonecas, mas pela falta de amor ao que eles têm. Quantas e quantas vezes eles esqueceram os controles do video game jogados no chão da sala? Quantas vezes eu encontrei giz perdido no quintal depois da chuva? Ou brinquedos espalhados no chão? Frutas com uma mordidinha jogada no lixo?

Comecei falar com eles, mostrar que tudo o que temos em casa teve um preço, custou alguma coisa e o dinheiro para pagar tudo isso não veio do céu ou da árvore da fortuna. Levei-os ao relógio da luz para mostrar que cada lâmpada esquecida acesa faz o reloginho girar e cada volta significa dinheiro indo embora. Contei que cada passeio, cada restaurante, cada ida no supermercado ou a uma loja qualquer significa dinheiro indo embora.

Mostrei o lixo orgânico (nós separamos todo o lixo) e falei do desperdicio de comida que temos porque eles muitas vezes não comem as coisas que eu preparo e que tudo aquilo significa dinheiro.

Enfim, foi o maior sermão da montanha! Mas no "final" da conversa eu percebi que as coisas não estavam exatamente claras para os três, especialmente para as meninas que são menores.

Fui no jardim e peguei uma plantinha inteira, com raíz e tudo e fiz dela o salário do papai no final do mês!  Mostrei a plantinha para eles e disse que o papai recebe uma plantinha daquelas no final do mês de trabalho. E ele vai pagando todas as contas e gastos da casa com as folhinhas daquela plantinha.

As crianças foram me dizendo quais os gastos que temos em casa e eu tirava algumas folhinhas para pagar:

- luz.

- água.

-prestação da casa.

- gasolina do carro.

- supermercado.

- roupas.

- livros.

Até que as folhinhas acabaram e então eu expliquei que ele só vai receber outra plantinha no mês seguinte. Se usarmos todas as folhinhas (dinheiro) sem critério, não vamos conseguir fazer tudo o que gostariamos de fazer. Se ao inves de gastar 4 folhinhas com a luz, nós gastarmos só 3, teremos uma folhinha a mais para comprar outra coisa.

Perguntei a eles o que a gente gasta quando lava roupa: água, luz, sabao e a própria roupa...

E falei que se lavarmos menos roupas gastaremos menos água, menos luz, menos sabao e a roupa vai durar mais. Sobrarão mais folhinhas para comprarmos outras coisas.

A carinha deles foi emocionante: eles estavam entendendo do que eu estava falando e começaram dar sugestões de como diminuir os gastos desnecessários.

Quando eles entenderam a parte do dinheiro eu comecei falar do meio ambiente e do impácto que o lixo, a energia elétrica, os poluentes têm no planeta em que a gente vive. E que alem de destruir a natureza, matar os animais, mudar o clima, ainda muda a nossa vida, o ar que respiramos, os alimentos que comemos. 

Ficamos mais de uma hora sentados na frente da garagem conversando com aquela plantinha, agora sem folhas, na mão. E os três super atentos ao que eu falava, dando idéias e exemplos. A partir desta conversa nós decidimos que as crianças vão receber uma mesada (semanada) para cada um aprender a gastar, guardar, compartilhar, emprestar dinheiro. Varias lições de economia para ensina-los que o papai faz muito sacrificio morando em Sarnia, longe de nós, para ver o  nosso dinheiro indo para o ralo sem necessidade.

Aug 10, 2013

O ateu sofre mais

IMG_1901O filho de um amigo meu faleceu há alguns anos atrás. Na época, eu pensei que meu amigo morreria junto, mas não. Eu tenho certeza de que meu amigo sofreu horrores e ainda sofre. A saudade deve ser gigante e eu acredito que de vez em quando ele até se revolte um pouco pela perda. Mas tão grande quanto a saudade e o sofrimento, é a fé que meu amigo tem.

Meu amigo tem certeza absoluta de que em 40-50 anos (quando ele mesmo morrer), ele vai reencontrar-se com o filho em um lugar muito melhor e os dois vão poder desfrutar a companhia um do outro pela eternidade.

Agora digamos que os ateus tenham razão e que não exista nada após a morte. Meu amigo vai morrer e nunca vai ficar sabendo que não se encontraria com seu filho novamente. Mas e daí???? Ele viveu uma vida feliz esperando o momento do reencontro e nunca vai sofrer a decepcão de ter se enganado.

Aug 9, 2013

namorando de novo

IMG_7796Eu não gosto de dizer que a qualidade do meu relacionamento com o Sergio tenha piorado com o nascimento dos nossos filhos: eu prefiro dizer que tudo mudou. Depois que as crianças nasceram, andar de mãos dadas se tornou raridade! Acho que só conseguíamos fazer isso quando deixávamos as crianças na casa da minha mãe para as consultas pré natais das meninas, rs.

Sentar lado a lado nos restaurantes se tornou missão impossível! Com três crianças pequenas, sempre tivemos que nos dividir entre eles e, mesmo as conversas nos restaurantes sempre giravam em torno deles.

Com a nossa vinda para o Canadá, os passeio a dois se tornaram raridade. Em 4 anos e meio nós fomos em 3 shows (Peal Jam, Roberto Carlos e Paul Mccartney) e ... é isso! Foram apenas 3 shows sem as crianças.

Muito de vez em quando eles fazem um playdate na casa de um amiguinho e temos algumas horinhas livres para falar de amor resolver coisas relacionadas às crianças. A grande verdade é que a nossa vida acabou girando muito em função deles e quando todo mundo vai finalmente para a cama e nós dois ficamos "enfim sós", já estamos esgotados e querendo dormir.

Mas então, na semana passada, chegamos no restaurante preferido deles e os três correram para sentar juntos. Começaram escrever na mesa, fazer desenhos, conversar, jogar e quando me dei conta, eu e o Sergio estávamos sentadinhos lado a lado, de mão dadas, conversando sobre a vida como um casal de namorados.

A garçonete veio, nós fizemos os nossos pedidos, cada uma das crianças fez o proprio pedido, comeu sozinha e eu confesso que eu até senti uma pontinha de saudade dos meus bebezinhos, mas passou logo e eu aproveitei a companhia do meu marido.

Aos poucos as crianças estão crescendo e cada  vez precisando menos de nós: já tomam banho sozinhos, comem sozinhos e mesmo as briguinhas estão diminuindo. De uma certa forma a diferença de idade entre eles está ficando cada vez menor e eles estão cada vez se divertindo mais uns com os outros. Quando eu vejo, fui colocada de lado e eles mal se lembram que eu existo, rs.

Agora, eu tenho que ficar chamando e correndo atrás dos meus filhos!!! Eles estão neste momento jogando Mario Bros no wii e eu aqui morrendo de ciumes!!! Quer saber: vou lá jogar também porque o tempo voa e eles estão crescendo rápido demais!!!

Aug 8, 2013

matemática do amor 2

Briguei com as crianças porque eles molharam todo o chão do banheiro e encheram a entrada do aquecimento de água. Quando todo mundo se acalmou a Luísa perguntou:


- Mamãe, quanto que você gosta da gente?

- Eu gosto do tamanho do infinito.

Ela fez o símbolo do infinito com as mãos e depois fez um zero com o indicador e o polegar:


- Isso é um zero!

- Mas pode ser infinito também porque ele não acaba nunca!

Dá pra contestar? E ficar brava?

beijo gay

Hj a Luisa está inspirada: ela veio no meu colo e ficou me beijando, beijando, até que ela beijou os meus lábios.

- Sabe mamãe, eu não gosto muito de menina beijando os labios de outra menina. Eu acho um pouco nojento. E menino beijando menino eu tb acho que é um pouco nojento. E depois, as meninas vão brigar para ver quem vai ter o nenê.

- E menino beijando menina, não é nojento?

- É um pouco, mas eu sei que aconteceu com vc, vai acontecer comigo, então não é muito nojento!

Aquela que nunca viu nada

Uma amiga mexicana me pediu para avisa-la quando eu for em algum lugar fechado como cinema, museu ou coisa parecida. Por uma obra do acaso ou do destino, eu sempre estou nestes lugares quando o clima traz alguma surpresa para Toronto. Em 2009, pouco depois de termos chegado por aqui, tivemos um furacão na cidade. Ele passou bem na região próxima ao bairro onde nós morávamos, mas eu não vi nada!!!

Justamente naquele dia, nós resolvemos ir visitar o Science Centre e só quando chegamos no estacionamento foi que percebemos que havia chovido. Só fomos nos dar conta de que se tratava de um furacão, em casa. É bem verdade que as ruas estavam cheias de folhas e muitas cirenes da polícia, bombeiros e paramédicos tocando, mas um furacão não passou pela nossa cabeça.

Chegamos em casa tranquilo e vimos várias mensagens de amigos na secretária eletrônica e então fomos ver na internet o que tinha acontecido, rs.

Na última grande enchente que tivemos na cidade, tb não vi nada porque estava no cinema! A região toda ficou sem luz, os faróis todos desligados e eu voltando para casa tranquilamente sem ter idéia do que tinha acontecido.

Na última sexta feira, lá fomos nós para Vaughan, levar o Eduardo na casa de um amigo. Na volta, nós percebemos uma nuvem um tanto diferente no horizonte. Parecia chuva, mas era diferente de uma chuvinha normal. Quando chegamos perto de casa, nós percebemos que havia chovido bastante por aqui e que havia muitas e muitas folhas e galhos caídos no chão. Foi estranho, mas não nos preocupamos.

No dia seguinte meus vizinhos vieram me contar que houve uma forte chuva de granizo. Segunda meu vizinho da esquerda e mais tarde minha vizinha da direita, as pedrinhas de gelo eram grandes! E mais uma vez, eu não vi nada!

Só pra constar, esta semana estou querendo ir no cinema com as crianças, então, se vc está aqui na região de Toronto, fique esperto, pode ser que S. Pedro resolva fazer mais alguma faxina aproveitando minha ausência.

Aug 7, 2013

Matemática do amor

Simbolo-do-infinito-azulComo as crianças têm uma certa dificuldade de entender o que é abstrato, as vezes fica difícil mensurar, para elas, o tamanho do meu amor! E mesmo elas têm dificuldade em me dizer o quanto elas me amam!

Fica aquela conversa megalomaníaca de "meu amor é maior que um prédio", "meu amor é maior que o planeta terra", "meu amor é maior que o céu".

Um dia, eu mensurei meu amor como não tendo fim: ele é maior do que tudo o que existe e não termina nunca. Foi difícil para eles imaginarem uma coisa assim. Então eu expliquei que os números são como o meu amor: nunca terminam. Não existe o último número e sempre vai aumentando aumentando aumentando...

Mostrei para eles o símbolo do infinito (este da foto) e disse que meu amor é infinito como este símbolo: não tem fim. Não sei se eles conseguiram entender exatamente o que eu estava falando, mas guardaram o símbolo!

Agora, aqui no Vale das Pedrinhas, a maior declaração de amor é o símbolo do infinito feito com as mãos!  Aquele coração "pulsando" com as mãos na frente do lado esquerdo do peito, foi substituído por dois círculos grudados feitos com os dedos indicadores e polegares!

E eles sabem muito bem o que este símbolo significa. Eu espero que um dia, os três tenham a oportunidade de sentir esse amor que sufoca, que transborda, que enlouquece e que não acaba nunca!

Aug 6, 2013

6 anos

  IMG_2844Pois é, meu bebezinho está completando 6 aninhos hoje! Ela já não aguentava mais de tanta ansiedade!

Esses seis anos foram incrivelmente especiais na minha vida com essa menininha meiga, doce e super bem humorada. A Luísa acorda de manhã com um sorriso no rosto todos os dias! Abre o olhão e sorri! E contagia todo mundo com sua animação, alegria, gargalhadas espontâneas, jeito moleca de ser.

E atrás daquela molequinha que adora subir em tudo, correr o tempo todIMG_2359o e fazer milhares de travessuras diárias, existe uma menininha romântica, que já sonha em crescer e ter muiiiiiiiitos filhos. Ela adora falar de bebês, gestações, partos, amamentação. Vira e mexe eu me pego conversando com ela sobre as consultas com o obstetra e os partos dela e dos irmãos.

Minha princesinha também adora assistir filmes de princesas, de amor, romance, casais apaixonados "kissing their lips" (beijando na boca). Mas também se encanta com um Harry Potter, um Homem Aranha ou um outro filme de aventura fantástica.

Sua imaginação está sempre fervendo e quando está no jardim, está sempre em contato próximo com a natureza. É impressionante como a Luisa ama as Ciências Naturais! Desde de muito pequena, ou talvez desde sempre, a Luísa é atraída por animais, insetos (eu sei que tb são animais), plantas, pedras, conchas, terra.

IMG_2507Sua curiosidade está sempre afiada e ela é muito observadora. Luísa quieta no quintal, pode ir ver que ela está pesquisando alguma coisa. Ela não tem medo de nada e adora descobrir novos detalhes, novos comportamentos, cores, formas... O nosso pequeno jardim tem sido o seu primeiro laboratório. Ela explora cada cantinho, cada plantinha, cada bichinho que aparece!

A mamãe fica super orgulhosa e feliz.

Minha querida, não planejo nada para vc, não alimento sonhos. Quero que vc continue sendo essa pessoa alegre, autêntica e transparente que sempre foi. E que trilhe o caminho que escolher transbordando sua alegria e contagiando as pessoas que cruzarem o seu caminho.

Aug 3, 2013

O mentiroso nunca fica tranquilo

As crianças foram com o Sergio jogar futebol no campinho de uma escola aqui da vizinhança. Em menos de 10 minutos eu vejo a porta se abrindo e a Helena entrando com cara de coitada. Logo atrás vinha a Luisa e um amiguinho deles com cara de decepção e finalmente vinham Sergio ajudando o Eduardo "contundido"!

Assim que entrou em casa chorando, o Eduardo veio me contar que e Helena tinha chutado o joelho dele! A Helena desmentiu na hora, ele contestou, ela retrucou e estava formada a confusão.

As testemunhas oculares estavam distraídas: a Luísa estava no parque, o amiguinho buscando a bola e o Sergio de costas para os dois esperando pela bola.

A juiza, no caso eu, tentando tirar a verdade de um dos dois.

"Na verdade essa história está virando um problema aqui em casa. Eduardo e Helena bricam o tempo todo e ficam se acusando mutuamente o dia inteiro. Na maioria das vezes é fácil perceber que os dois têm culpa no cartório e ambos acabam recebendo um castigo ou um sermão. Mas de vez em quando tenho que ter muitas imaginação e paciência para descobrir a verdade."

A discussão de hoje estava longe de terminar. O Eduardo me mostrava uma mancha roxa que com certeza já estava na perna dele por mais de ma semana e a Helena fazia cara de indignada quando ele chorava mostrando  perna machucada. O fato era que  a perna estava mesmo machucada, mas restava saber se ele tinha torcido ou sido chutado.

De repente, acendeu aquela luzinha das idéias e eu falei:

- Muito bem: a perna do Eduardo está machucada e vamos ter que leva-lo ao hospital. Chegando lá, o médico vai examiná-lo e vai dizer se foi um entorce ou se foi um chute. Se vcs me disserem a verdade agora, nós podemos conversar e vai ficar tudo bem. Se ninguem se acusar agora, o médico vai dizer quem estava mentindo e está pessoa vai ter um grande problema.

Sem pensar duas vezes a Helena se acusou. Disse que chutou o Eduardo e me explicou direitinho o que  estava acontecendo. Nós tivemos um longa conversa no quarto e como prometido, ela não ficou de castigo, mas acho que entendeu o sermão. Quando terminamos ela aceitou pedir desculpas.

Eu sempre conto a historia do menino que cuidava das ovelhas e mentia dizendo que o lobo estava vindo. Esta história é infalível e sempre dá pra explicar o problema da mentira usando-a.

Tudo bem que assim que a Helena confessou, a perna do Eduardo parou de doer!

Aug 2, 2013

Entrevistando o padre

paroquia_hAmsBdvrsUxMXiQJEu sempre frequentei a igreja católica do bairro onde morava: não só ia à missa, mas tb fazia as leituras e muitas vezes fiz o comentário da missa, tomei muito vinho junto com o padre (na celebração), enfim, tenho dezenas de histórias engraçadas que só poderiam acontecer comigo em uma igreja.

No colegial, eu sai de uma escola estadual e fui para uma escola católica. Certa vez, tive que fazer um trabalho de religião para a escola  e fui entrevistar o padre da minha igreja. Ele era um padre polonês, de uns 45 anos na época, super grosso, mas eu gostava muito dele. Não consigo me lembrar qual era o assunto do trabalho, mas eu fiz uma pergunta para o padre e ele ficou furioso!!!

Ele dizia: " mas que escola católica é essa em que vc estuda, que te manda fazer uma pergunta como essas para o padre? Me dê o telefone da sua escola que eu quero conversar com o diretor!!!"

Eu lembro que fiquei apavorada (e eu era ainda mais tímida do que sou hj). Pedi mil desculpas e disse que eu tinha criado as perguntas sozinha (verdade). Foi a maior confusão!!! Ele segurando o meu caderno com as perguntas e sacudindo no ar, como se eu tivesse dito a maior blasfêmia. Eu tinha uns 15 e não conseguia ver problema nenhum nas minhas perguntinhas inocentes, mas acho que foi alí que eu iniciei meu caminho de eternos questionamentos!

Por mais que eu tente me lembrar, não faço a menor idéia do assunto do trabalho e menos ainda qual foi a pergunta terrível que quase acabou com minha vida escolar católica!

Aug 1, 2013

Brincos

Se há uma coisa que não é comum por aqui, é criança usando brinco. Normalmente os pais nao furam as orelhinhas das meninas quando estas são bebês. O que acontece é que as meninas chegam naquela idade da vaidade e começam ver suas amiguinhas brasileiras e latinas em geral, defilando lindos brinquinhos e ficam morrendo de vontade de ter um também. Mas como, se as suas orelhinhas não sao furadas?

Várias mães já vieram me perguntar onde eu furei a orelha das minhas meninas, se elas choraram, se deixaram furas as duas sem problemas...

O problema é que com criança maiorzinha tudo fica mais complicado e as mães desanimam um pouco quando eu conto que furei a orelha das meninas quando elas ainda tinham 4 meses. Claro que choraram, mas nem tinham consciência direito do que estava acontecendo e deixaram tranquilamente furar as duas orelhas (uma de cada vez, pecado!).

Hoje, quando alguma amiguinha fica olhando apaixonada para os brinquinhos delas, elas me olham com aquele olhar de cumplicidade-mãe-filha e eu sinto que elas me agradecem por te-las protegido desta sensação horrorosa de querer ter uma coisa, mas ter medo de enfrentar a dor desconhecida.

Muitas meninas chegam com brinquinhos lindos nos locais em que se fura a orelha: estão firmes no propósito de também usar um brinquinho, mas a maioria delas desiste antes mesmo de colocar o primeiro. Provavelmente só vão criar coragem na adolescência e muitas vão até fazer mais furos pelo corpo, quem sabe!

Mas na maioria das vezes, a criança que nao furou a orelha quando ainda era um bebê, vai passar a infãncia inteira só admirando o brinquinhos das amiguinhas brasileiras.

 

Mantendo o Português das crianças

- Mama, eu posso comer as sereias? - Acho melhor voce comer as cerejas!