Skip to main content

O mentiroso nunca fica tranquilo

As crianças foram com o Sergio jogar futebol no campinho de uma escola aqui da vizinhança. Em menos de 10 minutos eu vejo a porta se abrindo e a Helena entrando com cara de coitada. Logo atrás vinha a Luisa e um amiguinho deles com cara de decepção e finalmente vinham Sergio ajudando o Eduardo "contundido"!

Assim que entrou em casa chorando, o Eduardo veio me contar que e Helena tinha chutado o joelho dele! A Helena desmentiu na hora, ele contestou, ela retrucou e estava formada a confusão.

As testemunhas oculares estavam distraídas: a Luísa estava no parque, o amiguinho buscando a bola e o Sergio de costas para os dois esperando pela bola.

A juiza, no caso eu, tentando tirar a verdade de um dos dois.

"Na verdade essa história está virando um problema aqui em casa. Eduardo e Helena bricam o tempo todo e ficam se acusando mutuamente o dia inteiro. Na maioria das vezes é fácil perceber que os dois têm culpa no cartório e ambos acabam recebendo um castigo ou um sermão. Mas de vez em quando tenho que ter muitas imaginação e paciência para descobrir a verdade."

A discussão de hoje estava longe de terminar. O Eduardo me mostrava uma mancha roxa que com certeza já estava na perna dele por mais de ma semana e a Helena fazia cara de indignada quando ele chorava mostrando  perna machucada. O fato era que  a perna estava mesmo machucada, mas restava saber se ele tinha torcido ou sido chutado.

De repente, acendeu aquela luzinha das idéias e eu falei:

- Muito bem: a perna do Eduardo está machucada e vamos ter que leva-lo ao hospital. Chegando lá, o médico vai examiná-lo e vai dizer se foi um entorce ou se foi um chute. Se vcs me disserem a verdade agora, nós podemos conversar e vai ficar tudo bem. Se ninguem se acusar agora, o médico vai dizer quem estava mentindo e está pessoa vai ter um grande problema.

Sem pensar duas vezes a Helena se acusou. Disse que chutou o Eduardo e me explicou direitinho o que  estava acontecendo. Nós tivemos um longa conversa no quarto e como prometido, ela não ficou de castigo, mas acho que entendeu o sermão. Quando terminamos ela aceitou pedir desculpas.

Eu sempre conto a historia do menino que cuidava das ovelhas e mentia dizendo que o lobo estava vindo. Esta história é infalível e sempre dá pra explicar o problema da mentira usando-a.

Tudo bem que assim que a Helena confessou, a perna do Eduardo parou de doer!