Oct 31, 2014

Enyd Blyton

Na tentativa de fazer a criançada gostar de ler, eu estou sempre de olhos e orelhas abertos para encontrar coisas novas no mundo dos livro e foi assim que encontrei Enyd Blyton!

A Luisa Elena veio nos visitar e estávamos conversando sobre livros (nosso papo favorito) e ela comentou que um dos seus livros favoritos de infância era uma coleção chamada The twins at St. Claire's. Os livros contam as historias de duas irmãs gêmeas que moravam em um internato!

Comprei a coleção para a Helena e apesar dela ainda não ter terminado de ler, está amando!!! Mas Enyd não escreve somente histórias de menininha! Ela tem varias coleções de aventuras que agradam os meninos tb! Sempre que vejo novidades, eu trago pra casa e as crianças curtem muito!

Se você tem um filho que gosta de livros de aventuras, vale a pena dar uma olhada nos livros dela!

Oct 29, 2014

A feiticeira

Eu não sou uma pessoa saudosista, definitivamente! Esse negócio de achar que "eu era feliz e não sabia" não é minha frase. Eu adoro as coisas da minha infância, mas também consigo admirar as coisas da infãncia de hoje e tento fazer com que meus filhos aproveite ao máximo o que dá pra vivenciar dos dois.

A nossa mais nova série favorita é A feiticeira, ou em inglês Bewitched!

Eu encontrei no Netflix e mostrei, como quem não quer nada para eles e foi paixão à primeira vista! Eu, pra ser honesta, nunca tinha assistido o primeiro episódio e está sendo super legal assistir tudo na sequencia. Também achei a Samantha bem diferente no original em inglês.  A voz dela na dublagem é bem mais meiga e gentil, mas em inglês ela fala com mais firmeza, especialmente com a mãe dela (que nao é facil)!

As crianças estão amando mesmo sendo em preto e branco! E eu estou aproveitando para matar as saudades!

Oct 27, 2014

Placas de carro novamente

Alguem comentou neste post sobre placas de carro que no Brasil as placas de carro tambem podem ser personalizadas, basta pagar para isso.

Eu concordo mas...

Até onde eu sei, as placas de carro no Brasil são, necessariamente 3 letras seguidas de 4 números. Se vc pagar, vc pode personalizar mas seguindo esse pedrão. Eu tenho um amigo que personalizou a placa com as iniciais do nome dele e o ano em que ele nasceu, mas teve que seguir as 3 letras e 4 números.

Se for possivel fazer diferente por favor me conte, porque eu desconheço.

Aqui no Canadá personalizar é diferente. As placas em Ontario por exemplo, são como essa aqui em cima: 4 letras seguidas de 3 números.

Mas vc pode personalizar mudando esta disposição totalmente. Podem ser palavras, pode ser uma sequencia de numeros, pode ser os dois, pequenas frases, iniciais ou qualquer coisa que seja facil de ser identificada pela policia (rs) e que caiba naquele espaço. Muita gente coloca o proprio sobrenome, o nome, as iniciais ou pequenas frases ou expressões com as quais se identifiquem.

E assim como no Brasil: vc tem que pagar por isso!

Vale lembrar outra diferença importante: no Brasil a placa pertence ao veículo, vc vende o carro e a placa segue com ele. No Canadá a placa pertence ao motorista: vc vende o carro e usa a mesma placa no novo ou pode fazer uma nova se quiser: basta pagar pra isso!

Oct 24, 2014

Matemática não serve só pra fazer continha...

... matemática faz muito mais que isso!

Adicionar legenda

A provincia de Ontario (e de uma maneira geral o mundo ocidental) está tendo um problema terrível com o ensino de matemática nas escolas. Este ano, foi um desastre aqui na provincia e vendo as aulas de matemática dos meus filhos, eu consigo entender bem o porquê:

Na escola das minhas crianças o JK/SK passaram para período integral este ano, então o número de crianças que ficam na escola para almoçar aumentou mais ou menos em 15%.

Eu fui voluntária no Pizza lunch e vi uma mesa com apenas 5 alunos onde cabem uns 20 e 6 alunos do grade 6 comendo sentados em um banco, mas não podiam ir para a mesa.

Hoje, um mes depois, o Eduardo estava me contando que está dificil a hora do almoço porque ainda não conseguiram resolver o problema das mesas. Algumas mesas ficam lotadas, outras ficam vazias, alguns grades são separados, outros ficam espremidos juntos e eles não encontram uma solução.

Foi a deixa pra eu falar: "vc viu porque é importante a matemática?"

Não basta pegar o numero de alunos e dividir com a calculadora pelo numero de lugares. Vc tem que desenvolver raciocínio logico para decidir quem vai ficar onde e qual a melhor disposição das mesas para acomodar todas as crianças.

Hoje nós vamos tentar fazer um exercício para treinar esse tipo de raciocínio e quem sabe a gente não encontra uma solução para este problema complicado que é dividir 200 crianças em x mesas!

Oct 16, 2014

Alice Hoffman

Alice Hoffman se tornou nos últimos tempos uma das minhas escritoras favoritas aqui no Canadá. O primeiro livro que eu li desta autora americana foi Practical Magic. Depois de assistir o filme dezenas de vezes junto com as crianças, eu fiquei curiosa para ver quem tinha escrito aquela história e foi assim que conheci Alice Hoffman!

O livro, pra ser honesta é totalmente diferente do filme, mas igualmente interessante. A maneira como ela narra a história prende a atenção e nos deixa curiosos para conhecer o final.

Depois de Practical Magic, eu li alguns dos seus livros infantis (Horsefly and Fireflies) e agora estou voltando aos romances para adultos.

Com uma bibliografia extensa, eu fui às cegas escolher algo para ler. Escolhi Story sisters, mas já parei. A narração não é linear e portanto ela dá pequenos detalhes de algo que vai acontecer no futuro e volta para o passado. Mas pelos pequenos detalhes futuros eu senti que ia sofrer demais lendo o livro. Pesquisando reviews eu confirmei minha suspeita: muita desgraça para uma família só e não é exatamente o que estou procurando no memomento, rs!

Reservei dois outros titulos dela na biblioteca e o que chegar primeiro, eu leio! Vamos ver!

Para quem gosta de "realismo fantástico", vale a pena dar uma olhada!

Oct 9, 2014

Placas personalizadas e o seu comportamento no trânsito

Esta linda placa de carro que eu peguei na internet é um modelo das placas de carros de Ontario.  O padrão são as 4 letras e 3 números. A frase "Yours to discover" e ali no cantinho direito tem o mês de aniversário do dono da placa e o ano de licenciamento! Diferente do Brasil, aqui as placas são da pessoa e não do carro! Apesar deste ser o padrão, vc pode pagar uma taxa e personalizar a sua placa do jeito que quiser. Eu já falei das placas aqui!!!
 
Então, esses dias, eu dirigia tranquilamente, quando vi a placa do carro da frente: HAPPY MOM (Mãe feliz)! Seguíamos em uma rua de pista simples com aquelas placas de PARE nas quatro esquinas, já bem perto da minha casa!
 
Pois a HAPPY MOM estava tão feliz, que não respeitou a ordem dos carros, emparelhou com o carro que estava à sua frente, invadindo a contra-mão e passou na frente de todo mundo que estava esperando a vez de passar (nestas placas de PARE, todo mundo tem que parar e depois passar em ordem de chegada).
 
E eu fiquei pensando nesta história de placa personalizada!!! Se fosse uma placa A ou B qualquer, eu pensaria mil coisas, a história ficaria, mas no dia seguinte eu já não saberia mais quem tinha feito! Mas com uma placa HAPPY MOM, sinto muito... eu não sei que carro era, não me lembro mais da cor, mas sempre que ver aquela placa, a primeira coisa em que vou pensar é naquele(a) motorista folgado(a) que alem de não respeitar o próximo, ainda dá mal exemplo para os filhos!
 


Oct 6, 2014

A calculadora e a matemática

Eu fiquei muito surpresa quando meu filho, no grade 6, chegou na maior alegria dizendo que tinha recebido uma calculadora para usar nas aulas de matemática na escola! Como assim??? Todos os alunos receberam uma calculadora? Mas e o raciocínio? E as contas de cabeça? E o desenvolvimento do raciocínio lógico... sei la... fiquei em choque em um primeiro momento!

Eu não quero ser uma mãe saudosista, que passa a vida dizendo para os filhos "na minha época era melhor porque era de outro jeito". Eu bem sei o quanto é chato decorar tabuada e a dona Maroquinha ficar perguntando os numeros salteados na classe, e na frente de todos os seus amigos, rs. Mas de alguma forma as crianças deveriam memorizar estas continhas, estas relações entre os números e os vários caminhos para se chegar ao resultado. Na minha humilde opinião,  continha é tão importante quanto as fórmulas que se usa até chegar nelas.

É claro que o papel da calculadora é importantíssimo, mas antes de aprender a usa-la, a criança deveria desenvolver toda a matemática básica "na mão": fazendo continha!!!

Esses dias o Eduardo teve uma lição de casa relacionada a matrizes. No final do exercício era preciso dividir um número por 4, mas a conta não dava resultado exato e, o resto era mais importante que o resultado da divisão. Uma criança que usasse uma calculadora para resolver aquele exercício, jamais chegaria ao resultado. Mas como um aluno de 10-11 anos vai conseguir diferenciar um exercício em que ele possa usar a calculadora e um exercício em que o uso te induza ao erro! Acho que é querer demais deles!

Seguindo um pouco na contramão das escolas de Ontário, eu pedi que o Edu não use calculadora na escola e em casa eu passo varios exercícios para ele treinar estas relações numéricas. Tenho conversado muito com eles sobre educação e lido muito tb.

Existem dezenas de discussões a respeito e não existe um consenso!!! A única coisa que me chama a atenção aqui em Ontário é que a cada ano, nossos alunos têm menor rendimento em matemática. Eles usam a calculadora como ninguem, não perdem tempo com continhas monótonas e entediantes, mas tb não conhecem os conceitos e têm dificuldade com raciocínio lógico!

Eu não posso dizer que a culpa seja diretamente das calculadoras, mas acredito que ela tem sua contribuição. Seja lá quem for o culpado, o fato é que a escola está tropeçando no ensino de matemática e certamente uma geração inteira de jovens vai sofrer as consequencias lá na frente!

O EQAO deste ano trouxe muitas surpresas e poucos têm motivos para comemorar! Espero que algo seja feito!

Oct 5, 2014

Massinha caseira

Uma brincadeira que sempre foi sucesso garantido aqui em casa é a massinha de modelar! Os três sempre gostaram e por isso eu sempre tenho guardado! Mas melhor do que brincar de massinha, é fazer a massinha em casa!!!

Em um desses "sites para maes", eu peguei uma receita super fácil, com ingredientes que normalmente temos em casa (exceto pelo corante alimentício) e a Luisa amou fazer!!!

Aqui no Just Real Moms tem a receitinha original e eu aproveito pra indicar o site que é bem legal!!!

Eu achei que meia receita seria suficiente e renderam as 4 bolinhas da foto:

2 xicaras de farinha de trigo

1/2 xicara de sal

3/4 de xicara de água

1 colher de sopa de óleo

1/2 colher de sopa de vinagre

Corante alimentício de varias cores





Preparo: Misture todos os ingredientes em uma tijela grande (exceto o corante). Acerte a textura acrescentando um pouco de água, caso a massinha fique muito seca ou esfarele. Ou coloque um pouco mais de farinha caso esteja muito umida e grudenta.

Quando a massa atingir a textura desejada, separe em varias porções e coloque algumas gotinhas de corante em cada porção. Misture cuidadosamente (não exatamente como a Luísa fez) ate que a cor seja incorporada na massa.

O corante que eu encontrei era bem líquido e a cor era super fraquinha, então eu acabei tendo que colocar praticamente o frasco inteiro e depois colocar um pouquinho mais de farinha pra tirar o excesso de umidade!

O que eu adorei neste receita é que ela é super facil de fazer (a Luísa fez tudo praticamente sozinha), é facil encontrar o ponto da massa e as crianças pequenas podem dar uma experimentadinha sem grandes problemas!

O único problema foi o ciume dos irmãos que tinham ido passear e ficaram bravos porque a Luisinha fez algo interessante sozinha!

Não dá pra ter tudo o tempo todo queridos!!! Mas agora que aprendi, vou fazer sempre, ou melhor, eles vão fazer sempre!



Oct 2, 2014

Os delírios de consumo de Becky Bloom - Sophie Kinsella


Estou tentando reunir em um só blog todas as coisas que escrevo. Há muito tempo atrás eu comentava os livros que lia. Esses dias eu assisti um filme e fui procurar o resumo do livro e acabei lendo o livro novamente. Então resolvi voltar a fazer os resumos para quando eu esquecer de algumas historias.
 
 
Este é um livro super desprentencioso que conta a história de uma consumidora descontrolada que se mete em muitas confusões por não conseguir pagar suas contas e nem deixar de gastar. Não é nenhum clássico da literatura mas dá pra dar boas risadas com ele e ao mesmo tempo ficar tentando encontrar uma saída para as enrascadas em que a protagonista se envolve. Pra passar o tempo é muito bom.

Eu já li quase todos dessa, que acabou virando uma série e até o Sergio gosta da Becky e suas trapalhadas. A autora tem um jeito muito leve e divertido de escrever! Não vejo a hora de conseguir ler outros livros dela falando de outros tema e com outro protagonista.


Resumo: Os Delírios de Consumo de Becky Bloom é o primeiro romance da inglesa Sophie Kinsella. É a história de uma jornalista financeira que durante o dia, ensina às pessoas como administrar seu dinheiro e no fim-de-semana, transforma-se em uma consumidora compulsiva, fugindo do gerente do seu banco e com muitas dívidas. Rebecca Bloom não resiste uma liquidação! Quanto mais inútil, melhor! Para ela, o mundo todo enxerga os detalhes da alça de seu sutiã, combinando com as cores de seus sapatos. Mas seu salário nunca é suficiente para pagar suas extravagâncias. Endividada até a alma, Rebecca, ou Becky, vive fugindo do seu gerente de banco e procurando fórmulas mirabolantes para pagar a fatura do cartão de crédito. Os Delírios de Consumo de Becky Bloom é um pouco da história de todas as pessoas para as quais comprar é quase uma terapia, a resposta para todos os problemas, mesmo criando outros piores ainda. Entre eles, inventar a próxima desculpa para o gerente do banco: - "Meu pé quebrou! Você não recebeu meu cheque? Meu cachorro morreu!", são alguns dos argumentos usados por Becky para enrolar seu gerente Derek Smeath. Mas a personagem de Sophie Kinsella não é apenas uma ´´material girl´´ que só pensa em dinheiro e futilidades. Rebecca é sensível, carinhosa e extremamente otimista. Com essas qualidades, ela vai fazer de tudo para resolver seu problema. Primeiro, tenta reduzir seus gastos a zero, o que logicamente, não funciona. Diante disso, ela resolve que precisa ganhar mais dinheiro, mesmo sabendo que seu emprego está ameaçado. Nos delírios de consumo de Becky, todos os seus problemas se resolveriam de imediato ao ganhar na loteria, ou se um completo estranho pagasse sua conta do Visa - por engano, claro. Como se não bastasse, em meio a tanta confusão, Becky ainda arruma tempo para se apaixonar pelo sedutor - e expert em finanças - Luke Brandon. Os Delírios de Consumo de Becky Bloom é um divertido romance, que retrata com perfeição grande parte das mulheres que conhecemos.


Editora: Record
Autor: SOPHIE KINSELLA
ISBN: 9788501059543

Mantendo o Português das crianças

- Mama, eu posso comer as sereias? - Acho melhor voce comer as cerejas!