Skip to main content

A caixinha de lembranças

Quando eu iniciei esta história de Papai Noel, Coelho da Pascoa e Fada do Dente, eu nunca parei para pensar em como contar a verdade, qual o momento certo e tinha medo da reação deles.

Ontem, o Eduardo me perguntou pela milésima vez se o Papai Noel realmente existe. Na verdade ele perguntou se eu sou o Papai Noel.

- O que vc acha?

Bem, no fundo ele sabia que era eu mas queria uma confirmação e não entendia como as coisas apareciam e se encaixavam tão bem sem ele perceber.

- E onde vc escondeu a cesta de basquete? (ele ganhou uma cesta de basquete no ano passado).
- Na garagem.
- E como ela veio parar na sala?
- Quando vcs foram dormir, eu e o papai trouxemos.
- Mas é muito pesada! ... E o leite? Os cookies? Vc comeu tudo? E a cartinha com a assinatura do Papai Noel?
- O correio tem voluntários que respondem as cartinhas das crianças.
- Então todo mundo sabe?
- Todo mundo sabe! E agora vc sabe também! Mas não conte para as meninas e para os seus amigos que acreditam. Deixe eles descobrirem sozinhos.

A carinha dele ia mudando a cada "revelação": surpresa, alegria por saber que vai continuar ganhando presente de natal e no final, uma cara de cumplicidade: ele sabe de algo que as outras crianças não sabem!

Mais tarde, quando eu já havia esquecido a nossa conversa, ele vem cochichando:

- Mamãe, e os nossos dentinhos?

Foi aí que ele foi apresentado à Caixinha de Lembranças onde eu guardo desde o teste de gravidez até os dentinhos, que a Fada do Dente generosamente deixou sob minha responsabilidade!