Skip to main content

Aulas de música: amor e ódio se encontrando

Eu conversei com as crianças e perguntei qual instrumento musical eles gostariam de tocar.

O Eduardo escolheu a guitarra elétrica mas, para minha surpresa, ele não quis ir para nenhuma escola ou aula particular: ele quis que o Sergio o ensinasse.

Sei lá, eu sempre achei que santo de casa não faz milagres, ainda mais quando o santo é da casa mas passa a semana inteira fora... de qualquer forma eles começaram as aulas no início de janeiro e parece que a coisa está funcionando. Todo dia o Eduardo estuda um pouquinho e nos finais de semana, o Sergio dá uma nova aula. O Sergio está bem animado com o desenvolvimento dele e acha que em breve vai ter que procurar um professor porque o aluno vai alcançar o nível do mestre.

A Helena escolheu o piano. Bem na verdade, a minha conversa com eles foi muito por conta de uma insistência da Helena, que vinha me pedindo aulas de piano desde o inicio de 2014. Ela está tendo aulas em uma escola de música e eu estou gostando muito da professora. E a Helena está se dedicando também: ela estuda todos os dias, faz os exercícios e sempre que tem  um tempinho livre fica dedilhando o nosso piano!!!

Sim, nós temos um piano e a historia dele merece um post só pra ela (em breve)!!!

E a Luísa quis aprender violino. Eu bem que tentei dissuadi-la dessa ideia, mas como diz o Sergio: "a criança tem que aprender o instrumento que gosta". Ok, a Luísa está aprendendo violino.

O que eu aprendi sobre o instrumento, neste período em que estou pesquisando a respeito foi que não valia a pena comprar um violino no início. Como o instrumento tem que ser adequado ao tamanho de cada criança, valia a pena alugar um e ir trocando de acordo com o crescimento dela.

Apesar da animação da primeira semana, a Luísa definitivamente não gostou muito da professora e eu acho que não consegue entender direito o sotaque dela (chinesa). E ficamos aqui na luta!!! Ao mesmo tempo que ela parece gostar do instrumento, ela reluta em praticar e eu tenho a impressão de que os exercícios que a professora manda para casa não fazem sentido para a Luísa. Na verdade, eu não sei se ela entende exatamente o que tem que fazer.

Para ajuda-la, eu estou estudando tb e vendo como posso tornar os exercícios mais lógicos para ela.

Então ontem, antes de sairmos para a aula, ela estava chorando e pedindo para parar. Apesar de achar que ela tem jeito para música e achar que o violino pode sim ser um instrumento legal para ela, nós combinamos que ontem seria a última aula (porque já estava paga, rs) e que eu cancelaria a matrícula.

Só que ao chegar na escola, um rapaz veio buscar a Luisa e avisou que mãe dele não pode ir ontem e ele veio substitui-la. Que diferença faz na última aula, né? Mas enquanto a Luisa estava na classe, eu resolvi esperar antes de cancelar a matricula: sei lá de onde veio esse click que nós faz esperar antes de agir!

Quando a Luisa apareceu, era outra menina! O sorriso ia de orelha a orelha e ela não parava de falar. Me contou como foi a aula inteira, me mostrou o livro e falou da música que ela aprendeu a tocar e não deixou ninguém ajuda-la com o violino!

- Luisa, vc ainda quer que eu cancele a matrícula?

- NÃO!!! Eu quero continuar fazendo as aulas!

E agora??? Espero mais um pouco ou mudo de professor?